Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

O vereador de oposição a Max Filho que quer governar Vila Velha

Arnaldinho Borgo lançou campanha no último domingo, começa a preparar plano de governo, garante ser candidato a prefeito pelo Podemos e dá “chega pra lá” no coronel Wagner Borges

Publicado em 24/07/2020 às 05h00
Atualizado em 24/07/2020 às 05h02
Arnaldinho Borgo será candidato a prefeito de Vila Velha
Arnaldinho Borgo será candidato a prefeito de Vila Velha. Crédito: Amarildo

Opositor ferrenho de Max Filho (PSDB) na Câmara Municipal e pré-candidato a prefeito de Vila Velha, o vereador Arnaldinho Borgo (Podemos) iniciou no último domingo (19) um movimento para fortalecer sua candidatura. É o que ele está chamando de Movimento Vila Velha 500 Anos.

A ideia é, colhendo sugestões de moradores e especialistas em diversas áreas, formular um plano de desenvolvimento para a cidade pelos próximos 15 anos e, a partir desse documento, elaborar o plano de governo que ele apresentará à sociedade canela-verde durante a campanha.

“Daqui a 15 anos, Vila Velha completa 500 anos, Vila Velha é uma potência adormecida. Pode ser a cidade que quiser, mas não vai ser nada se ninguém planejar. Visando a esse planejamento em 15 anos, lançamos o Movimento Vila Velha 500 Anos, para a gente reunir e captar dos moradores vila-velhenses ideias inovadoras, inclusivas e sociais. Acredito que podemos tornar Vila Velha uma cidade mais colaborativa e justa, onde as pessoas participem efetivamente da construção do melhor para se viver e se investir. É um planejamento que vamos deixar para a cidade, independentemente de irmos para a prefeitura”, explica Arnaldinho.

No último domingo, o vereador lançou um site no qual qualquer cidadão pode deixar uma sugestão por tema e por bairro. Essa fase, chamada por ele de “fase da escuta”, vai até 19 de agosto. “Passaremos 30 dias ouvindo a cidade.”

Na etapa seguinte, a proposta é promover oficinas temáticas reunindo pessoas que tiverem feito sugestões no site com uma equipe técnica formada por especialistas em cada área, conforme detalha o vereador:

“Vamos juntar as sugestões deixadas pelos cidadãos com as de especialistas por área. Em cima disso, vamos construir um plano de desenvolvimento de Vila Velha para os próximos 15 anos. E é daí que vamos extrair o nosso plano de governo, que pretendemos entregar no dia 26 de setembro”. É a data final para o registro das candidaturas no Tribunal Regional Eleitoral.

CORONEL WAGNER

Por coincidência (ou não), também no último domingo, mesmo dia em que Arnaldinho lançou seu site e seu movimento, outro agente político de Vila Velha fez um gesto que equivale praticamente ao lançamento da própria campanha:

O tenente-coronel Carlos Wagner Borges, assessor de Comunicação do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo, distribuiu em larga escala, via WhatsApp e redes sociais, um vídeo gravado por ele no Centro de Vila Velha em que, entre outras mensagens típicas de pré-candidatos, repete que pretende “conversar com a cidade” e “ouvir a cidade”. Proposta, aliás, parecida com a de Arnaldinho – embora, ao contrário do vereador, o oficial dos Bombeiros não assuma pré-candidatura.

Como é militar, o tenente-coronel Wagner só precisa se juntar a um partido no ato de registro da eventual candidatura (no dia 26 de setembro). Por ora, ele não definiu em qual partido ingressará para disputar a eleição. Mas, segundo o estrategista dele, Aldeci Carvalho, o Podemos é uma das siglas que eles não consideram descartadas. O principal aliado de Wagner, senador Marcos do Val, é filiado ao Podemos, embora não dirija o partido no Estado.

Diante do interesse do potencial concorrente, perguntamos a Arnaldinho se a direção do Podemos lhe garante mesmo a legenda para disputar a prefeitura. O vereador responde com confiança:

“Estou muito tranquilo quanto a isso. Minha candidatura foi chancelada dentro da casa da presidente nacional do Podemos [a deputada federal Renata Abreu, de São Paulo], com a presença do presidente estadual e do presidente municipal do partido [respectivamente, o prefeito de Viana, Gilson Daniel, e o vereador de Vila Velha Bruno Lorenzutti]. Mas, se tiver que ir para convenção, eu vou também. Não vejo problema”.

Quanto a uma possível investida de Wagner para ocupar esse espaço já preenchido por ele no Podemos, Arnaldinho ironiza: “Olha, confio na nossa presidente nacional, no nosso presidente estadual e no nosso presidente municipal. Eu acho que o caminho dele é outro partido. Ele tem que procurar outro partido, né? Pelo menos é o que eu acho. Mas, se ele quiser vir para o nosso partido aqui e ajudar na nossa campanha, quem sabe, né? Talvez ele queira participar do movimento Vila Velha 500 Anos”.

GILSON DANIEL: “O CANDIDATO É ARNALDINHO. PONTO”

Sobre possível ingresso e candidatura do tenente-coronel Wagner pelo Podemos, o presidente estadual da agremiação, Gilson Daniel, entrou em contato com a coluna para dizer, categoricamente, que não existe hipótese de o bombeiro militar disputar a Prefeitura de Vila Velha pelo Podemos. Referendando o posicionamento de Arnaldinho e da Executiva do partido em Vila Velha, o presidente estadual sentencia: “O Podemos tem candidato a prefeito de Vila Velha e se chama Arnaldinho Borgo. Ponto final”.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.