ASSINE
Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica aqui, diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

Dr. Hércules: Gepetto vai a Baleia contra pinóquios de Vila Velha

Para abafar boatos e assegurar candidatura a prefeito de Vila Velha, deputado foi a Brasília se encontrar com Baleia Rossi, presidente nacional do MDB. Veja esta e outras notas sobre o cenário político estadual

Publicado em 14/02/2020 às 04h02
Atualizado em 14/02/2020 às 16h47
Como Gepetto, Hércules está esculpindo e entalhando a sua candidatura a prefeito de Vila Velha. Crédito: Amarildo
Como Gepetto, Hércules está esculpindo e entalhando a sua candidatura a prefeito de Vila Velha. Crédito: Amarildo

Para assegurar candidatura a prefeito de Vila Velha, o deputado estadual Hércules Silveira (MDB) foi conversar pessoalmente, em Brasília, na noite da última quarta-feira (12), com o presidente nacional do seu partido, o deputado federal Baleia Rossi (SP). Hércules foi acompanhado na agenda pelo presidente estadual do MDB, Lelo Coimbra.

Com esse encontro, o deputado também espera dar um sinal ao mercado político e um recado aos “pinóquios” de Vila Velha: quer dissipar rumores de que sua pré-candidatura, tal como em 2012 e 2016, não seria para valer. Na véspera da viagem a Brasília, ele afirmou à coluna: “É para tirar essa conversa que alguns adversários andam espalhando na cidade de que não serei candidato”.

Como o Gepetto da fábula de Carlo Collodi, Hércules tem idade respeitável: com 80 anos de vida, é o vovô da Assembleia, ao lado de Theodorico Ferraço (DEM). E, tal como o entalhador que criou o boneco de madeira Pinóquio na história adaptada pela Disney, o doutor está preparando o tronco para entalhar e esculpir a candidatura. Só falta bater o martelo!

“O Baleia me prometeu apoio irrestrito da cúpula nacional do MDB e da estadual, com Lelo, à minha candidatura. O partido prioriza os municípios com o maior número de eleitores. No Espírito Santo, essas preferências do MDB são Linhares, com a reeleição de Guerino Zanon, e, em primeiro lugar, Vila Velha.”

Segundo Hércules, eles não chegaram a abordar a viabilização financeira da campanha – um assunto-chave – por parte da cúpula partidária. “Não foi discutida essa questão de recursos, de valores. Onde o candidato tiver mais chances, o partido vai investir mais”, confia.

Da esquerda para a direita: Baleia Rossi, Mário João Sarnáglia, Lelo Coimbra e Hércules Silveira. Crédito: Assessoria de Hércules Silveira
Da esquerda para a direita: Baleia Rossi, Mário João Sarnáglia, Lelo Coimbra e Hércules Silveira. Crédito: Assessoria de Hércules Silveira

Na eleição do próximo diretório estadual do MDB – marcada para este domingo (16), salvo em caso de enésima reviravolta –, Hércules não só apoia a manutenção de Lelo na presidência estadual como faz parte da chapa do (ainda) secretário nacional de Desenvolvimento Social.

Curiosamente, apesar da reaproximação, o mesmo Lelo já foi alvo de muitas críticas por parte de Hércules, por, segundo ele, não ter lhe garantido recursos compatíveis para se reeleger na Assembleia em 2018 e, principalmente, por não ter bancado a sua candidatura a prefeito de Vila Velha em 2012.

Naquele ano, conforme Hércules sempre relembra, ele chegou a ter a candidatura lançada pela executiva municipal do então PMDB, mas dias depois a direção estadual, controlada por Lelo (e, indiretamente, por Paulo Hartung), decidiu que o partido apoiaria a candidatura de Rodney Miranda (então no DEM), o candidato do núcleo do ex-governador.

Ressentimentos superados, pelo jeito.

COMO GEPETTO, ELE BATE NA MADEIRA

Mas e se houver mesmo convenção estadual do MDB neste domingo e Lelo perder a presidência regional para seu desafiante interno, o ex-deputado federal Marcelino Fraga? Por acaso Hércules teme que, “sob nova direção”, o MDB estadual acabe barrando novamente a sua candidatura, hoje assegurada por Lelo? Ele mesmo quer crer que não: “Tenho boa relação com o Marcelino. E penso que, se ele for o presidente, também vai querer eleger prefeitos do MDB. Que outro nome é mais competitivo que o meu em Vila Velha para o partido?”

TÁ NAMORANDO TODO MUNDO

Acelerado, Hércules diz que pretende marcar, nos próximos dias, conversas individuais com agentes políticos da cidade, como o vereador licenciado Ricardo Chiabai – também pré-candidato a prefeito, pelo Cidadania –, o vereador João Artem (PSB), o presidente municipal do PTB, Toninho Magalhães – antigo colaborador do ex-prefeito Rodney Miranda –, e o jornalista Ferreira Neto, apresentado pelo PDT como postulante à Prefeitura de Vila Velha.

EXPERIÊNCIA E JUVENTUDE

Da mesma audiência com Baleia Rossi, além de Lelo e Hércules, participou o vereador de Itaguaçu Mário João Sarnáglia, de 33 anos, pré-candidato a prefeito da cidade da Região Serrana pelo MDB. O atual prefeito de Itaguaçu é Darly Dettmann (sem partido), que não pode se reeleger. No momento, Dettmann apoia o vice-prefeito, João Luiz Minhoca, filiado ao PSB.

CAIU POR TERRA

A saída do deputado federal Osmar Terra (MDB) da chefia do Ministério da Cidadania, confirmada nesta quinta-feira (13) pelo presidente Jair Bolsonaro, deixou Lelo em situação bem complicada. Sua permanência na função de secretário nacional de Desenvolvimento Social (o nº 2 da pasta) se torna duvidosa, para não dizer improvável, já que ele foi convidado para o cargo pelo próprio Osmar Terra, companheiro dele anteriormente na bancada do MDB na Câmara.

INGREDIENTE EXTRA NA CONVENÇÃO

Nesse caso, o caldeirão que já é a convenção estadual do MDB no domingo – de novo: se convenção houver – ganha um ingrediente extra, pois com isso a permanência de Lelo à frente do partido no Estado torna-se ainda mais relevante para ele e seus apoiadores. Questão de sobrevivência política. Imaginem se Lelo perde espaço no governo federal e o controle do próprio partido em terras capixabas…

HUDSON DÁ ABRIGO PARA OS QUINTA

Nesta quinta (13), Quinta deu lugar a Quinta. Não entendeu? Eu explico. O ex-prefeito de Presidente Kennedy, Reginaldo Quinta, estava lotado na Assembleia Legislativa como assessor de gabinete (comissionado) do deputado Hudson Leal (Republicanos). Não está mais. De acordo com publicação do Diário do Legislativo, o ex-prefeito foi exonerado, por solicitação de Hudson. Reginaldo foi substituído, porém, no mesmo cargo, por uma sobrinha sua: Josiane Costa Quinta, prima da também ex-prefeita Amanda Quinta, filha de Reginaldo. Tudo a pedido do deputado.

SÓ UMA COISA NÃO MUDA

Ou seja: sai Quinta, entra Quinta, o gabinete de Hudson Leal continua servindo de abrigo à família que domina há anos a política da rica e rentável Presidente Kennedy.

EXONERAÇÃO NO GOVERNO

Já o governo Casagrande exonerou Fernanda Sanz do cargo comissionado de assistente técnica da Secretaria de Estado de Governo. Ela trabalhava no Cerimonial. É irmã de Daniella Sanz, assessora de comunicação do presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos).

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.