Advogada, coordenadora de Projetos CADH, mestre em Direitos e Garantias Fundamentais (FDV) e especialista em Direitos Humanos e Segurança Pública

No Brasil, o 'nervosismo do mercado' é mais importante do que a fome

Alardeia-se a queda da bolsa e o aumento dólar, mas se faz ouvidos moucos ao barulho que ecoa do estômago vazio de 33 milhões de pessoas. Em uma lógica perversa, na qual o lucro deve anteceder a fome

Publicado em 14/11/2022 às 02h00