ASSINE
Nessa coluna, Nanda Perim fala de sua experiência como psicóloga e educadora parental, dando seu parecer sobre questões atuais da educação infantil, trazendo dicas, humor e muita novidade boa!

Confinamento com criança: respira, não se cobre tanto, não pira!

A psicóloga Nanda Perim, nossa mais nova colunista, dá dicas do  que fazer com a criançada para conseguir dar conta de tudo durante a quarentena

Publicado em 25/03/2020 às 22h24
Mãe brinca com a filha no tapete da sala
Mãe brinca com a filha no tapete da sala. Crédito: shutterstock

O coronavírus chegou e com ele um período inesperado dentro de casa com as crianças. De repente, umas férias completamente desprogramadas, sem opção de parquinho e longos passeios na praia, sem poder distrair a cria com cinema nem ida à casa dos amigos.

E agora? O que fazer? Para muitos de nós, essa mudança ainda significa tentar trabalhar com criança correndo pela casa e precisando de nossa atenção, o que torna tudo um desafio ainda maior. Arrumar casa, lavar roupa, lavar louça, fazer comida, trabalhar, dar atenção pra cria e, mais importante de tudo: não pirar! Como fazer tudo isso?! Infelizmente eu não tenho uma receita mágica nem pó de pirlimpimpim para as crianças ficarem quietinhas o dia todo brincando na sala. Mas trago algumas dicas que podem te ajudar bastante nesses dias internacionalmente difíceis para todos nós!

Então vamos lá: minha primeira dica de todas é você organizar uma rotina para esses dias especiais. Que comece com você sentando no chão e brincando com a criança, para começar o dia ‘enchendo o tanque dela’! Além disso, estipule horários para brincar juntos, para você trabalhar, horário para as crianças lavarem roupa com o papai e depois lavarem louças com a mamãe. Horário para fazer almoço, horário para trabalhar, horário para sentar novamente pra brincar.

Organizar o dia ajuda a controlar a ansiedade da criança. Os pequenos precisam de ritmo, precisam de previsibilidade, e isso pode ajudar demais a controlar a vontade da criança te chamar o dia inteiro. Você vai dizer “falta uma hora pro nosso horário de brincar” e isso vai organizar as expectativas dela. Outra dica: crie combinados específicos para esses dias. O que pode e o que não pode, deixando claro que são dias bem diferentes das nossas vidas. Esses combinados vão te ajudar a não pirar, porque quando são pré-estabelecidos, você não precisa explicar toda vez, só relembrar o que foi combinado.

“Lembra que vamos comer biscoitos só no lanche da tarde? Então vamos esperar”. Vale até fazer um quadrinho de rotina, assim você torna concreto: crianças entendem melhor o que conseguem ver, acompanhar, ir até lá olhar de novo pra confirmar. Isso também pode te ajudar a promover a autonomia da criança nesses dias. Deixe frutas na altura dela, permita que te ajude a fazer o almoço, por exemplo, cortando o queijo ou amassando as batatas. Vale até levar mais tempo pra cozinhar se isso for distrair as crianças e virar uma atividade em família. Outra dica importantíssima: explique as verdades para as crianças. Diga o que é o vírus, explique seu perigo, deixe claro os reais motivos de estarmos todos trancados, mesmo que de forma lúdica: queremos que o vírus não encontre ninguém e vá embora!

E, por fim, minha última e mais importante dica: respira, não se cobre tanto, não pira! Ficar trancados em casa por causa de uma pandemia mundial não é como qualquer sábado em casa. É algo novo, inédito, sem planejamento, nem precedentes. Portanto, SE PERMITA. As crianças estão assistindo TV demais? Pense em soluções, mas não pira. Estão comendo porcaria? Tenta reduzir, ok, mas não surta. A vida tá fugindo do controle? Ok, respira. Vai na onda. Entenda que isso tudo é muito maluco e que vai passar, e faça só o que você der conta! Não pegue pesado com você, porque agora não tá dando pra fazer muito mais do que você já faz! Relaxe, respire, e tente curtir. Estar com a cria, sentar para brincar numa quinta à tarde em casa, ver o sol se pôr na janela... Além de não surtar, tente aproveitar!

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.