ASSINE
Doutor em Doenças Infecciosas pela Ufes e professor da Emescam. Neste espaço quer refletir sobre saúde e qualidade de vida na pandemia.

Que em 2021 as vacinas tragam nossa vida de volta

Esse é apenas um dos desejos para o ano que se inicia. Após tantas mortes, é também importante que aprendamos a gastar nossa energia e nosso tempo nas pequenas coisas que realmente importam

Publicado em 31/12/2020 às 06h00
Cientistas estudam vacina contra Covid-19
Cientistas estudam vacina contra Covid-19 . Crédito: Artem Podrez/ Pexels

É de praxe fazer um balanço do ano que se encerra e formular votos e resoluções para o ano novo que se avizinha. Que podemos pensar do longo ano de 2020? O pior ano de nossas vidas? Meu, seguramente, não foi! Vivi dores piores... Mas convenhamos que este ano foi desafiador e extremamente duro pelas incertezas, perdas de vidas, sofrimentos, isolamentos intermináveis, medo e insegurança.

Um vírus surgido na China pôs a humanidade de joelhos! Nosso país teve desempenho lastimável na principal arma para conter o vírus e evitar a paralisia econômica: a testagem em massa com testes moleculares de qualidade. Testamos muito menos que Colômbia e Chile (taxa percentual por habitantes), por exemplo, se compararmos com América Latina. A Coreia do Sul, exemplo de combate à pandemia, tinha 1 teste positivo para 100 negativos. No Brasil, esta taxa foi sempre de 30-40%, o que prova a dificuldade de rastrear e conter a doença. Muitas pessoas sugerem “cancelar” 2020, outros dizem que já vai tarde!

O que podemos esperar e desejar para 2021? Como seriam então minhas orações para o ano novo?

Que após ouvir tantas notícias de mortes, aprendamos a gastar nossa energia e nosso tempo nas pequenas coisas que realmente importam.

Que todos busquemos um estilo de vida mais saudável, depois dos enormes sustos vividos com o agravamento da doença na presença de comorbidades.

Que ousemos sonhar com cidades mais “amigáveis”, com novas soluções de transportes sem aglomerações insalubres e insuportáveis.

Que nosso país, gigante eternamente deitado em berço esplêndido, acorde desta longa crise e comece a crescer de fato em 2021.

Que valorizemos mais o empreendedorismo e a livre iniciativa que nos trouxeram as importantes conquistas e descobertas na luta contra a pandemia.

Que lutemos com mais vigor contra a miséria, realmente cansados de ver como a pandemia ceifou mais as vidas das pessoas de baixa renda.

Que usemos menos o nome de Deus em vão e pratiquemos de fato ações de solidariedade cristã e amor ao próximo.

Que aceitemos que o que construímos enquanto espécie o fizemos com aprendizado duro e método científico, que nos permitiu viver mais e melhor.

Que saibamos cuidar com carinho deste planeta Terra, a casa que temos, deixando-a melhor para as próximas gerações.

Que sejamos tolerantes com nossas diferenças, mais plurais e inclusivos, cultivemos o diálogo e construção de pontes em vez de muros que nos separem.

Que venham as vacinas logo, várias e diferentes, que permitam vencer a pandemia e trazer nossa vida de volta.

Feliz 2021!

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.