Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica aqui, diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

Grupo de Amaro e Erick Musso quer eleger prefeitos na Serra e em Vitória

Apostas são para 2020. Pazolini é pré-candidato a prefeito de Vitória; Xambinho e Vandinho, à sucessão de Audifax na Serra; Amaro é carta curinga e pode vir em um dos dois municípios

Publicado em 13/08/2019 às 13h11
Atualizado em 23/08/2019 às 07h53
Da esquerda para a direita, o presidente da Assembleia, Erick Musso (PRB), o deputado federal Amaro Neto (PRB) e o deputado estadual Marcelo Santos (MDB). Crédito: Bruno Fritz
Da esquerda para a direita, o presidente da Assembleia, Erick Musso (PRB), o deputado federal Amaro Neto (PRB) e o deputado estadual Marcelo Santos (MDB). Crédito: Bruno Fritz

O presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (PRB), indicou, nesta segunda-feira (12), a consolidação de um novo grupo político no Espírito Santo, surgido neste ano, à margem dos grupos de Renato Casagrande (PSB) e de Paulo Hartung (sem partido). Em torno de Erick estão o deputado federal Amaro Neto (PRB) e os deputados estaduais Lorenzo Pazolini (sem partido), Vandinho Leite (PSDB) e Alexandre Xambinho (Rede), entre outros.

O projeto de ascensão conjunta desse polo político passa, necessariamente, por 2020. “Vamos com certeza ter uma trajetória juntos em 2020”, assegurou Erick, em discurso para a militância, durante a posse da nova direção do PRB na Serra, nesta segunda-feira. Objetivamente, isso significa eleger pelo menos um prefeito na Grande Vitória em 2020.

Fazendo pelo menos um prefeito em uma grande vitrine política no ano que vem, o grupo ganha força para lançar um candidato até ao governo do Estado na eleição seguinte, em 2022.

Xambinho e Vandinho são pré-candidatos a prefeito da Serra. Pazolini tem sido incentivado a lançar candidatura em Vitória. Já Amaro é uma carta curinga, que poderia se lançar em qualquer uma das duas cidades. Segundo informações de bastidores, a preferência dele é por Vitória.

Mas haverá lugar para todos eles, dentro do mesmo movimento, concorrendo aos mesmos cargos?

Segundo Roberto Carneiro, sim. Presidente estadual do PRB, Carneiro é considerado o principal estrategista e operador político desse núcleo.

DIÁLOGO E PESQUISAS

Carneiro afirma que todos os membros desse grupo que têm pré-candidatura estão conversando entre si. Isso inclui conversas entre Pazolini e Amaro.

Sobre este último, Carneiro diz que o deputado tem analisado pesquisas quantitativas e qualitativas, sobre sua eventual candidatura tanto na Serra como em Vitória.

Se Amaro for candidato na Serra, afirma Carneiro, Vandinho e Xambinho já manifestaram que só um dos três será candidato à sucessão de Audifax Barcelos (Rede).

Mas, segundo Xambinho, o grupo pode ter dois pré-candidatos a prefeito da Serra, ou fazer uma composição que deságue em apenas uma chapa.

XAMBINHO NO PRB: “QUESTÃO DE TEMPO"

Na ausência de Amaro Neto, Xambinho acabou sendo a grande estrela do encontro do PRB na Serra nesta segunda-feira (12). De saída da Rede, ele foi cortejado publicamente por Erick Musso e Carneiro para se filiar ao PRB. Numa brincadeira, Erick falou em “convocação presidencial”, enquanto Roberto pediu a ele que “amoleça o coração”.

À coluna, Xambinho confirma que a tendência dele é migrar para o PRB. Na prática isso já está bem encaminhado, pois o novo comando do PRB na Serra é formado por pelo menos três assessores de gabinete de Xambinho na Assembleia.

De acordo com Erick Musso, a filiação de Xambinho ao PRB é “uma questão de tempo”.

Se Xambinho deixar a Rede agora, ele corre o risco de perder o mandato, que poderia ser requerido pelo partido junto à Justiça Eleitoral. Entretanto, em março de 2020, haverá uma janela para que deputados que queiram concorrer às eleições municipais troquem de legenda.

Caso a Rede se funda com outro partido antes disso, Xambinho também estaria legalmente liberado para trocar de partido sem correr o risco de perder o mandato parlamentar.

VILA VELHA E SERRA

Do grupo de Amaro e Erick também fazem parte os deputados estaduais Hudson Leal (PRB) e Rafael Favatto (Patriota), que podem ser candidatos a prefeito de Vila Velha, e Marcelo Santos (MDB), que pode voltar a disputar a Prefeitura de Cariacica

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.