ASSINE
É publicitário e escreve sobre suas experiência em Portugal, com foco em consumo e sustentabilidade. Escreve quinzenalmente, às sextas-feiras

Os próximos passos da pandemia em Portugal

Número de contaminações pelo coronavírus no país começou a diminuir e plano de vacinação segue evoluindo

Publicado em 12/02/2021 às 02h01
Vista aérea de Portugal
É muito provável que o governo português prorrogue por mais 15 dias o estado de emergência que vencerá no próximo domingo. Crédito: Divulgação

Nesta última semana, o número de contaminações pelo coronavírus em Portugal começou a diminuir. Depois de 14 dias, o país deixou de liderar a tabela mundial em novos casos de Covid-19 por milhão de habitantes, de acordo com os dados do Our Wold in data. De acordo com os dados divulgados pela Direção Geral de Saúde (DGS), “acentuaram a tendência de desaceleração da pandemia em Portugal, tendo o número de novos casos nos últimos sete dias sempre a diminuir”.

Mas o agravamento da terceira onda do coronavírus em Portugal, com a explosão do aumento dos casos de infectados e do número de mortes, é consequência de erros de planejamento do governo português e a chegada da variante do vírus oriunda do Reino Unido. Se de um lado o governo facilitou os contatos entre famílias no período das festas de fim de ano, do outro demorou a identificar o crescimento da nova cepa entre os portugueses. Muitos médios em Portugal acreditam que mais de 60% dos novos contágios são de nova mutação.

Outro ponto importante é o plano de vacinação, apesar do atraso da entrega das vacinas por parte das farmacêuticas: Portugal segue com a evolução das fases de vacinação, estando no momento entrando na última parte da primeira fase, quando serão vacinadas as pessoas maiores de 50 anos com insuficiências cardíacas, doença coronária, insuficiência renal e doença respiratória crônica.

Também é importante destacar que Portugal seguiu o entendimento científico e das indicações da vacina da AstraZeneca, uma vez que vários países da Europa também estão limitando a sua aplicação em pessoas com menos de 65 anos de idade, tendo em vista o baixo número de pessoas testadas na fase dos ensaios clínicos. Isso pode se transformar num grande problema no futuro, pois é exatamente da AstraZeneca virá o maior número de vacinas que Portugal receberá ao logo deste ano.

Por fim, é muito provável que o governo prorrogue por mais 15 dias o estado de emergência que vencerá no próximo domingo. A grande questão é se haverá flexibilização de algumas medidas atuais. Mesmo com os números de contaminados diminuindo e a vacina avançando, o governo pensará duas vezes em correr o mesmo risco que correu nessa terceira onda.

Os artigos assinados não traduzem necessariamente a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Portugal Coronavírus Covid-19 portugal Pandemia Vacinas contra a Covid-19

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.