ASSINE
A economia capixaba tem espaço aqui, com textos do economista, pesquisador e consultor, vinculado ao Instituto de Economia da UFRJ, membro do GEE, economista-membro da International Association for Energy Economics (IAEE) e do Institute for New Economic Thinking (INET)

Política de desenvolvimento econômico precisa ser revisada

Investimentos estatais podem ser estruturantes em momentos de crise, desde que pautados em critérios de eficácia

Publicado em 09/10/2020 às 05h00
Dinheiro real
Queda na arrecadação afeta os investimentos. Crédito: Pixabay

A economia brasileira, bem como as demais economias globais, estão nesse período singular em um processo de mitigação dos efeitos da crise sanitária, humanitária e econômica provocada pela pandemia. Obviamente, cada nação – e cada território que a compõe – está sofrendo esta crise de maneira diferente, conforme a sua capacidade de reação, dependente dos seus meios de lidar com a desaceleração da economia e conceber novos dispositivos dentro de uma nova política econômica, por sua vez compatível com o novo contexto econômico.

O quadro de mecanismos usados para estimular o desenvolvimento precisa ser revisto, o que é justificado pelo cenário de inúmeros desestímulos aos investimentos. Os governos têm a tarefa de inovar nos modelos de incentivos e nas proposições centradas em sua própria atuação. Uma política de desenvolvimento econômico em meio à crise precisa considerar a nova dimensão da urgência.

A diminuição das receitas estatais e, consequentemente, a deterioração da capacidade de investir em meio à crise atual impõem a máxima atenção na determinação de quais investimentos são capazes de gerar um efeito propulsor na economia, beneficiando de forma perene o ambiente produtivo.

No contexto contemporâneo, os investimentos estatais se tornaram uma solução, mas que exige uma base econômica indicando que tipo de projeto deve ser priorizado na crise, para que os investimentos públicos sejam eficazes na promoção da recuperação da economia. O direcionamento de recursos para cada medida desenhada deve ser pautado pelo potencial de geração de crescimento econômico.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.