ASSINE
Bastidores e informações exclusivas e relevantes sobre os negócios e a economia do Espírito Santo

Finanças municipais no ES: mais receita, menos gastos e caixa fortalecido

Receita do conjunto das cidades do Estado avançou quase 5%, alcançando R$ 16,2 bilhões. As despesas encolheram mais de 3%

Publicado em 30/06/2022 às 04h31
Dinheiro - poupar - investir - es
Crédito: Carlos Alberto

O ano de 2021 foi, na média, bom para o caixa dos municípios do Espírito Santo. As receitas contabilizaram alta de 4,8% e alcançaram a cifra de R$ 16,251 bilhões, um acréscimo de R$ 744,8 milhões em relação a 2020, em valores corrigidos pelo IPCA. Enquanto isso, as despesas retrocederam 3,4% no mesmo período – os gastos com pessoal caíram 4%. A má notícia é que o corte nas despesas também foi empurrado pela redução dos investimentos municipais.

O avanço da vacinação contra a Covid-19, a redução gradual das restrições de funcionamento das atividades, a reedição do auxílio emergencial e a subida do preço do petróleo estão entre os fatores que contribuíram para que 2021 fosse um bom ano fiscal para os municípios capixabas.

Os dados e a análise estão na 28ª edição do anuário Finanças dos Municípios Capixabas, da Aequus Consultoria, que começa a circular nesta quinta-feira (30).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.