ASSINE

Vacinação no país deve começar em 20 de janeiro, diz Pazuello a prefeitos

Ministro da Saúde se reuniu virtualmente com mais de 140 prefeitos na manhã desta quinta-feira (14) para tratar sobre estratégias para vacinar a população

Publicado em 14/01/2021 às 12h14
Atualizado em 14/01/2021 às 12h37
O ministro da saúde, Eduardo Pazuello, durante declaração no Palácio do Planalto.
O ministro da saúde, Eduardo Pazuello, se reuniu virtualmente com mais de 140 prefeitos. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou para mais de 140 prefeitos que a vacinação contra a Covid-19 começará em todo o país na próxima quarta-feira (20), às 10h, se as vacinas forem aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A informação está sendo divulgada pelos gestores das cidades, que participaram de uma reunião convocada pelo ministério na manhã desta quinta-feira (14).

O ministro afirmou aos prefeitos que as doses da vacina da Oxford/AstraZeneca devem chegar aos estados na próxima segunda-feira (18). Pazuello repetiu aos presentes que 8 milhões de doses de vacinas devem estar disponíveis em janeiro, sendo 2 milhões do modelo de Oxford/AstraZeneca e 6 milhões da Coronavac. Estes imunizantes serão entregues no Brasil pela Fiocruz e pelo Instituto Butantan, respectivamente.

"De acordo com @ministropazuelo, próxima segunda chegam as 2 milhões de doses da Astrazeneca para estados. Há também as 6 milhões da Coronavac. Anvisa liberando domingo, distribuem na terça para iniciar na quarta, dia 20. Ou seja: 8 milhões de doses para janeiro", publicou o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), em uma rede social.

Cerca de 140 prefeitos se reuniram virtualmente na manhã desta quinta-feira (14) com o ministro da Saúde para tratar sobre as estratégias de vacinação no país. Antes mesmo do evento, o ministério já havia informado que previa o início simultâneo da aplicação das doses de imunizantes contra o coronavírus em todas as capitais brasileiras de três a cinco dias, após a aprovação do uso emergencial das vacinas pela Anvisa.  

Segundo a pasta, esse é o tempo necessário para que as doses sejam divididas em lotes e enviadas para as maiores cidades de cada estado, de forma que "ninguém fique para trás". A expectativa é que a Anvisa autorize o uso emergencial das vacinas produzidas pelo Butantan e Fiocruz no próximo domingo (17). Após esse aval, as doses podem ser aplicadas na população.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.