ASSINE

Itamaraty prepara plano para retirar brasileiros da Venezuela

Um questionário, classificado como alerta, tem sido enviado por e-mail e também disponibilizado no site do consulado do Brasil em Caracas

Publicado em 26/02/2019 às 17h12
Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, em Brasília. Crédito: Reprodução/Divulgação
Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, em Brasília. Crédito: Reprodução/Divulgação

O Itamaraty passou a procurar desde sábado (23) brasileiros residentes na Venezuela para saber se há interesse em obter ajuda para deixar o país. "Em caso de agravamento da situação política na Venezuela, teria interesse em retornar ao Brasil, caso o governo brasileiro venha a oferecer meios de transporte?", indaga, em um formulário.

O questionário, classificado como um alerta, tem sido enviado por e-mail e também disponibilizado no site do consulado do Brasil em Caracas.

A assessoria de imprensa do Itamaraty afirmou que a estimativa de brasileiros residentes na Venezuela permanece em torno de 13 mil - a mesma de um mês atrás.

Dos 1.900 que responderam ao questionário até o momento, cerca de 600 manifestaram interesse em repatriação se a situação se deteriorar. O Ministério das Relações Exteriores afirmou aguardar novos contatos para então eventualmente executar um plano de retirada.

O Itamaraty também está atuando para que brasileiros que estavam em Santa Elena do Uairén, no momento do fechamento da fronteira, possam retornar ao Brasil.

De acordo com o MRE, há nesse grupo caminhoneiros e turistas que estavam na trilha do Monte Roraima, além de brasileiros que estavam no lado venezuelano por outros motivos.

As tratativas com as autoridades venezuelanas no local estão sendo feitas pelo vice-consulado do Brasil em Santa Elena. Segundo o Itamaraty, na segunda-feira (25), 30 brasileiros conseguiram cruzar a fronteira para o lado brasileiro.

Cidadãos brasileiros estabelecidos há anos na Venezuela receberam o contato do consulado com surpresa, por não terem feito qualquer solicitação prévia."Em vista da situação por que passa a Venezuela, este consulado-geral está coletando informações dos brasileiros residentes no país para fins de adotar medidas cabíveis de assistência consular", introduz o Itamaraty na correspondência. Há também perguntas sobre quantidade de dependentes e endereço completo.

Ainda no sábado, o consulado emitiu "aviso importante" em que "alerta aos cidadãos brasileiros residentes na Venezuela sobre os riscos decorrentes da atual situação, e recomenda que evitem as áreas de conflito e limitem a sua mobilidade ao estritamente necessário".

"O consulado-geral recomenda, também, aos turistas brasileiros que evitem viajar à Venezuela neste momento e enquanto perdurar a situação."

Em dezembro de 2017, o então embaixador brasileiro na Venezuela foi declarado "persona non grata" -expulso, para efeitos práticos. Desde então, o Brasil mantém apenas o consulado como representação diplomática no país.

Nesta segunda-feira (25), o Grupo de Lima descartou a realização de uma intervenção militar na Venezuela após reunião em Bogotá.

No texto, o grupo de 14 países da região, entre eles o Brasil, afirma que a transição democrática na Venezuela deve ser conduzida "pacificamente pelos próprios venezuelanos", com apoio de meios políticos e diplomáticos e "sem o uso da força".

No entanto, os conflitos nas fronteiras da Venezuela com Brasil e Colômbia, decorrentes da tentativa de entrada de ajuda humanitária, já deixam mortos e feridos.

A Gazeta integra o

Saiba mais
brasil

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.