ASSINE
Autor(a) Convidado(a)

Na pandemia, cidadãos devem participar ainda mais das audiências públicas

Nesta segunda-feira, dia 6, o Estado começa um processo de diálogo com a sociedade capixaba para definir ações e projetos prioritários que vão integrar o Projeto de Lei do Orçamento 2021

Publicado em 05/07/2020 às 05h00
Atualizado em 05/07/2020 às 05h01
O Palácio Anchieta já foi residência dos jesuítas
Palácio Anchieta, sede do governo: Estado abre conversas com a população para definir orçamento. Crédito: Setur

Certamente, vivemos a quadra mais desafiadora dos últimos 100 anos. Do pequeno agricultor do interior do Espírito Santo ao megainvestidor da Bolsa de Nova York, todos, sem exceção, foram de alguma forma impactados pela pandemia que já ceifou milhares de vidas em todo o mundo, gerando também forte retração econômica, com aumento da exclusão social.

E é nesse cenário de total incerteza que empresas e governos precisam rever seus desafios e prioridades, e que o governo do Espírito Santo inicia, na segunda-feira, 6 de julho, um processo de diálogo com a sociedade capixaba, para definir ações e projetos prioritários que vão integrar o Projeto de Lei do Orçamento 2021.

Por causa da Covid-19, neste ano não realizaremos encontros presenciais nas dez microrregiões do Estado. A participação dos cidadãos nas audiências públicas para elaboração da peça orçamentária anual se dará de duas formas: acesso ao site orcamento.es.gov.br e debate virtual, transmitido no canal do YouTube do governo estadual e pela TVE.

Acessando o site, a população poderá apontar os desafios que deverão receber maior atenção do governo no próximo ano. Já no debate virtual, com participação do governador Renato Casagrande, da vice-governadora Jaqueline Moraes, de secretários de Estado e dirigentes de órgãos da administração pública estadual, os cidadãos terão oportunidade de se informar e dar sugestões, em um diálogo aberto sobre ações e projetos das áreas estratégicas do governo.

Trabalhando com planejamento, realizando uma gestão pública orientada para resultados, temos enfrentado e superado desafios. Primeiro, foram as fortes chuvas que caíram sobre o Estado, no início deste ano, e que obtiveram pronta resposta do governo, com ações de recuperação nos municípios. A pandemia nos atingiu em meio a uma outra crise, gerada pela queda no preço do barril do petróleo, com forte redução na arrecadação.

Mas, organizados, e com disciplina do Planejamento Estratégico, mesmo em meio a um cenário tão desafiador, com políticas públicas inovadoras, realizamos obras estratégicas e investimentos que fazem nosso Estado voltar a crescer.

*O autor é secretário de Economia e Planejamento do Governo do Espírito Santo

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.