ASSINE

Homem é preso em bar após agredir a namorada em Viana

Dono do estabelecimento foi quem chamou a polícia, após notar que a mulher estava ferida. Vigilante de 38 anos foi autuado em flagrante por lesão corporal qualificada, injúria e ameaça

Viatura da Polícia Militar
Policiais militares atenderam a ocorrência em Vila Bethânia. Crédito: Carlos Alberto Silva | Arquivo | GZ

Um vigilante de 38 anos foi preso na noite de sexta-feira (23) em um bar, após agredir a namorada em Vila Bethânia, Viana. De acordo com a Polícia Militar, a briga teria sido motivada pela recusa da mulher em usar drogas, já o agressor alega que teria sido por ciúmes. O homem foi autuado em flagrante por lesão corporal qualificada, injúria e ameaça.

O dono do estabelecimento onde o casal estava foi quem chamou a polícia. De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima, que tem 54 anos, relatou aos policiais que foi agredida com socos em casa e na rua, fato que teria sido presenciado por diversas pessoas. A vítima também afirmou que ele teria tentado enforcá-la com as mãos.

Em nota, a Polícia Militar informou que, ao atenderem o chamado, os militares abordaram o casal e perguntaram a eles se estava tudo bem. A princípio, a mulher balançou a cabeça em sinal negativo. Já o acusado relatou que havia discutido com a vítima em casa, mas que já tinham resolvido a questão.

Os policiais notaram que a mulher tinha um corte profundo na testa e hematomas pelo corpo e, então, questionaram a mulher a respeito dos ferimentos. Nesse momento, ainda segundo a nota da corporação, ela confessou que estava em casa bebendo com o companheiro, quando ele ofereceu cocaína e ela recusou.

No relato da vítima aos militares, o namorado teria ficado furioso com a recusa e, por isso, teria começado a agredi-la. Em seguida, o homem disse que iria para o bar e a obrigou a acompanhá-lo. Segundo a PM, a vítima foi levada para receber atendimento médico no PA de Arlindo Villaschi. 

À reportagem da TV Gazeta, o vigilante contou outra versão. Ele disse que ele havia pedido para olhar o telefone celular da namorada, mas que ela teria negado. O casal estava bebendo em casa, quando ocorreram as agressões. Ainda segundo o homem, a mulher o agrediu primeiro com uma cerâmica. Depois da briga, eles foram para um bar. O vigilante também contou que está afastado do trabalho desde abril quando, segundo ele, perdeu quatro dedos de uma das mãos após um assalto.

Também em entrevista à TV Gazeta, o proprietário do bar, que não quis se identificar, contou que percebeu o pedido de socorro da mulher. Segundo ele, pelas costas do agressor, ela teria balbuciado que precisava de ajuda. 

Dono do bar que acionou a PM

  

"Ela mexeu a boca pedindo ajuda, e foi o que fiz. Liguei para a polícia. Só pensava nas mulheres da minha família. Tenho duas irmãs, mãe e amigas e isso é uma coisa que não apoio nunca, violência contra a mulher"

Polícia Civil informou que o suspeito foi conduzido à Delegacia de Plantão Especial da Mulher da Região Metropolitana (PEM), onde foi autuado em flagrante por lesão corporal qualificada, injúria e ameaça, conforme a Lei Maria da Penha. Em seguida, ele foi  encaminhado para o Centro de Triagem de Viana, onde passará por uma audiência de custódia. 

Já a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) informou que há registro contra o vigilante, em março de 2020, por tráfico de drogas.

Com informações de Daniela Carla, da TV Gazeta.

Atualização

24 de Julho de 2021 às 12:10

Após a publicação desta matéria, em que originalmente constava apenas a versão dos fatos relatada pelo vigilante detido, a Polícia Militar enviou nota em que afirma que a briga teria sido motivada pela recusa da vítima em usar drogas. O texto foi atualizado com as novas informações. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.