ASSINE

Viana: meia dose de vacina tem eficácia comprovada e será usada para reforço

Uso da meia dose da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 na cidade apresentou resultados promissores; entenda

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 20/12/2021 às 19h44

A aplicação de meia dose da vacina da Astrazeneca contra a Covid-19 se mostrou eficaz após os estudos realizados município de Viana. Isso significa que o que antes era uma hipótese do projeto Viana Vacinada tornou-se uma evidência científica. O resultado da pesquisa foi divulgado nesta segunda-feira (20).

Sendo assim, agora, toda a população da cidade, de 18 a 49 anos, vai tomar uma dose de reforço, também com meia dose, a partir de janeiro de 2022.

Ana Claudia Souza, enfermeira servidora na Unidade de Saúde de Araças. tomou a vacina contra Covid-19 de Oxford Astrazeneca
População de Viana deve tomar uma meia dose de reforço da vacina Astrazeneca. Crédito: Fernando Madeira

Segundo o projeto, os resultados do estudo confirmaram que a meia dose foi semelhante à dose padrão para prevenção de casos novos, internações e óbitos. E, diante disso, a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) autorizou a vacinação de reforço com meia dose em todos os postos de imunização de Viana.

Valéria Valim

Médica e coordenadora científica do estudo e gerente de Atenção à Saúde do Hucam/Ufes

"Não somente quem participou do estudo poderá receber meia dose de reforço, mas também quem recebeu dose padrão de AstraZeneca, Coronavac ou Pfizer"

Prefeitura de Viana informou que os locais de vacinação já estão prontos para receber os moradores da região. E adiantou que no dia 9 de janeiro haverá um dia D de mobilização para a dose de reforço na cidade.

RESULTADOS

Na última sexta-feira (17), em Goiânia, o estudo foi premiado no Congresso Brasileiro de Infectologia. E os resultados mostraram que, diante dos testes em voluntários, a meia dose foi capaz de motivar a produção de anticorpos neutralizantes em 99,8% dos participantes, dado semelhante à dose padrão.

Nas pessoas que já tiveram a doença ou foram vacinadas anteriormente, isto é, nos pré-imunes, a médica Valéria Valim explicou que uma meia dose foi suficiente para induzir altos títulos de anticorpos neutralizantes. “Isso mostra que a meia dose pode ser usada para reforço no esquema vacinal”.

Em relação àqueles que não tiveram Covid-19 e nem haviam se vacinado antes, o resultado também impressionou. “A meia dose foi capaz de induzir resposta mais robusta de biomarcadores de imunização (quimiocinas, citocinas e fatores de crescimento) que a prescrição na bula do produto da AstraZeneca. Nos pré-imunes, a produção desses marcadores foi semelhante nos dois grupos”, informou o projeto.

Por fim, o estudo concluiu que a duração dos eventos adversos foi menor na meia dose que na dose cheia. Em geral, foram leves e em proporção de pessoas semelhante à da prescrição de fábrica.

Orgulhoso dos resultados promissores, o prefeito Wanderson Bueno destacou que o empenho do município nas ações foi feito para atingir o maior número de pessoas vacinadas. Logo, é muito importante que à população faça a adesão à dose de reforço. “Vencer a pandemia de Covid-19 e levar proteção para as pessoas estão sendo cumpridas por meio do melhor sistema de vacinação do Estado do Espírito Santo, imunizando 100% da população vianense e sediando este estudo de relevância internacional”, pontuou.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.