ASSINE

Incontinência urinária: 1 em cada 3 brasileiros tem o problema

As mulheres formam a maioria, representando 68% das pessoas afetadas. Metade da população apresenta perda de escapes de urina por esforço, seja por pegar peso, tossir, espirrar e até mesmo rir

Publicado em 31/03/2021 às 13h00
Mulher com vontade de fazer xixi
Os dados demonstram que há tendência ao isolamento. Crédito: Freepik

A incontinência urinária acomete 30% da população brasileira. As mulheres formam a maioria, representando 68% das pessoas afetadas. Apesar de 88% dos entrevistados responderem que têm incontinência leve (algumas gotas ou pouco escape de urina), 69% das pessoas afirmaram não saber que a perda de urina, em qualquer quantidade, ainda que pequena, é considerada incontinência urinária. Metade da população apresenta perda de escapes de urina por esforço, seja por pegar peso, tossir, espirrar e até mesmo rir.

É o que o estudo realizado com duas mil pessoas revelou. Para avaliar os dados sobre os impactos do distúrbio no país, a Bigfral, líder em cuidado adulto, encomendou ao IPEC um estudo nacional com duas mil pessoas entrevistadas, que quantifica a prevalência atual de incontinência urinária, sua correlação com as lesões de pele e a forma como ela pode afetar a qualidade de vida emocional e física de pessoas e cuidadores. Em parceria com Associação Brasileira pela Continência BC Stuart, a Bigfral trabalha em ações para conscientizar a população sobre a incontinência urinária, seu tratamento e a diminuição de seu impacto no bem-estar da população brasileira.

Qualidade de vida

A pesquisa apontou como a incontinência urinária pode prejudicar a qualidade de vida. 91% das pessoas afirmaram que a incontinência afeta o bem-estar da pessoa; e 89% sentem-se envergonhados. Os dados demonstram que há tendência ao isolamento, já que 61% evitam sair de casa, 42% evitariam eventos sociais, e 77% evitariam ir a locais sem banheiro próximo se tivessem incontinência urinária. 56% dos entrevistados afirmaram que a condição de escape de urina impacta na feminilidade e 19% afirmam que evitaria ter relações com seu/sua parceira (o).

Incontinência Urinária X Dermatite

Pela primeira vez no Brasil, o estudo relacionou a incontinência urinária com casos de dermatite. 77% das pessoas com incontinência afirmaram que já tiveram alguma dermatite próxima à região íntima. 74% das pessoas afirmaram que a dermatite afeta seu dia a dia de alguma forma, mas 51% das pessoas com dermatite nunca procuraram um médico para tratar da condição.

Sobre o tratamento da incontinência urinária, 35% das pessoas não sabem dizer se existe algum tipo de tratamento e 51% das pessoas procuram informações na internet. Por isso, buscar especialistas e tratamento é fundamental.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.