ASSINE

Mulher denuncia médico por assédio em hospital particular na Serra

Paciente registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil e acionou a gerência do hospital

Publicado em 29/08/2019 às 18h56
Vítima relata assédio durante consulta com médico no ES. Crédito: Oliveira Alves | TV Gazeta
Vítima relata assédio durante consulta com médico no ES. Crédito: Oliveira Alves | TV Gazeta

Uma mulher de 22 anos denunciou um médico por assédio sexual que teria acontecido durante um atendimento na última terça-feira (27) em um hospital particular na Serra. De acordo com a reportagem da TV Gazeta, a mulher, que não será identificada nesta matéria, contou que foi até o local por conta de uma dor de ouvido naquela data.

Chegando ao consultório do médico, a vítima relata que o profissional começou a fazer perguntas íntimas. Ela informou que foi questionada se tinha namorado, e que afirmou para o médico que tinha saído com uma mulher; ele teria se espantado com a resposta. A partir disso, o médico colocou o telefone pessoal dele na receita médica e falou que poderia mostrá-la "o que é um homem de verdade", falou que queria namorá-la e que estava separado há três meses.

Na hora de ir embora, a moça diz que foi abraçada com força pelo profissional, o que fez com que ela se desesperasse e saísse chorando do consultório aos prantos. A mulher disse que, no próprio hospital, procurou a direção e documentou o ocorrido. Junto à Polícia Militar, a moça fez um boletim de ocorrência na última quinta-feira (29).

À reportagem do Gazeta Online, a Polícia Civil informou que a vítima registrou a denúncia contra o médico na 3ª Delegacia Regional de Serra, e que o procedimento será encaminhado para Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) do município para apuração dos fatos.

OUTRO LADO

Por telefone, o médico negou todas as acusações e disse que sempre dá o telefone pessoal para os pacientes em casos de emergência.

“Eu tratei ela com carinho. Nunca, me defina assédio? Nenhum momento houve assédio. Eu sempre trato com carinho dos meus pacientes. A única coisa que falei era que era para viver a vida dela, que queria que fosse feliz. Eu sempre coloco telefone pessoal na receita. É costume meu porque quando eu passo uma medicação antidepressiva, ansiolítica eu passo o telefone. Quando o paciente está muito deprimido, eu sou muito cristão, eu sempre quero passar positividade para os pacientes. Eu sou assim com todo mundo”, declarou o médico.

CONSELHO DE MEDICINA

O Conselho Regional de Medicina (CRM), informou, por meio de nota, que todas as denúncias recebidas serão apuradas e havendo indício de infração ao código de ética médica, é aberto um processo. A denúncia não chegou ainda ao CRM.

O QUE DIZ O HOSPITAL

Questionado, o grupo dono do hospital em que o caso aconteceu informou que recebeu reclamação relacionada ao atendimento do médico via Central de Relacionamento. A partir de então, abriu uma sindicância e está apurando a denúncia. "Tão logo as investigações sejam concluídas, tomará as medidas cabíveis para o caso", afirmou em nota.

abuso abuso sexual assedio assedio sexual espírito santo serra

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.