ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:

Homem é preso acusado de matar tatuador após cobrança de dívida no ES

Hudson Pinto Valadares Júnior foi morto a tiros em fevereiro de 2016, na Serra, após cobrar uma dívida de R$ 700, ao acusado Thiago de Oliveira

Publicado em 02/07/2019 às 21h26
Thiago de Oliveira, o Esquilo, 24 anos, foi preso na tarde desta terça-feira, no bairro Cantinho do Céu, na Serra. Crédito: Divulgação | PC
Thiago de Oliveira, o Esquilo, 24 anos, foi preso na tarde desta terça-feira, no bairro Cantinho do Céu, na Serra. Crédito: Divulgação | PC

A polícia colocou na cadeia o acusado de assassinar o tatuador Hudson Pinto Valadares Júnior a tiros, em Jardim Tropical, na Serra. O homem foi morto ao cobrar uma dívida de R$ 700 do cliente, Thiago de Oliveira, o Esquilo, 24 anos, preso na tarde desta terça-feira (2), no Bairro Cantinho do Céu, na Serra.

O tatuador foi morto em fevereiro de 2016, quando foi ao bairro cobrar a dívida de um serviço que havia prestado a Thiago. “O acusado solicitou o serviço do tatuador, mas não pagou pelas tatuagens. Mesmo assim, Thiago insistiu pedindo novos retoques em outras tatuagens a Hudson, que se negou. Por estar precisando pagar pensão alimentícia ao filho, o tatuador cobrou por duas vezes o valor do serviço, que não foi pago por Thiago. Na terceira vez, ao ir na casa de Thiago cobrar, Hudson foi alvo de disparos”, contou o delegado Rodrigo Sandi Mori, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Serra.

Ao ver o tatuador, Thiago chamou por Lucas, primo dele, o qual abriu fogo contra o rapaz. Na tarde de terça-feira, o delegado e a equipe cumpriram o mandado de prisão expedido pela Justiça contra Thiago. Ele foi preso em casa, no bairro Cantinho do Céu, e não ofereceu resistência.

“Meu filho nunca se envolveu com drogas, nunca andou armado e morreu covardemente. Apenas porque quis receber o dinheiro das tatuagens que fez”, disse a mãe da vítima.

Também foi cumprido o mandado de prisão contra o comparsa de Thiago, Lucas Venicios Souza Reis, 27 anos. Ele já estava preso por roubo. Os dois negam o envolvimento na morte de Hudson. “Temos elementos de prova suficientes para indicar que eles são os autores deste assassinato”, completou o delegado.

“Nunca perdi a esperança de que um dia os veria presos, pagando pelo que fizeram com meu filho e para não fazerem com o filho de mais ninguém. Eles destruíram minha vida e do meu esposo, de toda minha família. Meu filho era muito carinhoso com todos os irmãos e sobrinhos”, contou a mãe de Hudson.

Os dois acusados foram denunciados pelo Ministério Público pela morte de Hudson, na semana passada. A denúncia foi recebida pela Justiça na mesma semana, fazendo com Thiago e Lucas se tornassem réus da acusação e, agora, aguardam presos pelo julgamento.

Mãe da vítima

Sempre disse que não deixaria meu filho aumentar as estatísticas de crimes que não foram solucionados

Para a mãe de Hudson, saber que os dois estão presos trouxe um sensação de alívio. “Saber que não ficará impunidade é um alívio. Nesta terça-feira, eu recebi a notícia que eu tanto almejava. A ligação do delegado falando que estavam presos. O delegado fez a parte dele, agora a Justiça tem que fazer a parte dela”, desabafou a mãe do tatuador.

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
assassinato homicídio serra

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.