ASSINE

Audiência sobre cobradores do Transcol no TRT termina sem acordo

Os rodoviários e as empresas de ônibus não chegaram a um consenso durante audiência de conciliação; novo encontro foi marcado para sexta-feira (17)

Publicado em 14/09/2021 às 18h39
Sindirodoviários faz protesto pedindo pelo retorno dos cobradores afastados desde o início da pandemia
Sindirodoviários fez protesto pedindo pelo retorno dos cobradores afastados desde o início da pandemia. Crédito: Ricardo Medeiros

Terminou sem acordo a audiência feita na tarde desta terça-feira (14), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), entre as empresas de ônibus e o Sindicato dos Rodoviários para tratar da atuação dos cobradores do sistema Transcol. Um novo encontro está marcado para a sexta-feira (17) para mais uma tentativa de conciliação.

A categoria reivindica a volta dos cobradores para os seus postos de trabalho, de onde foram afastados devido à pandemia da Covid-19. Na última semana, os rodoviários paralisaram as atividades em protesto, causando transtornos para a população que depende do transporte público. Na ocasião, o secretário estadual de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, criticou o movimento, feito sem comunicação prévia, e afirmou que não há planos para o retorno dos cobradores ainda em 2021. Ele argumenta que, antes, o Estado pretende ampliar a cobertura vacinal contra o Sars-Cov-2 (coronavírus). 

Damasceno ressaltou que, a partir de 2022, com maior controle sobre a pandemia, a intenção é retomar a atividade de alguns cobradores. Outros estão passando por cursos de requalificação para atuar em outras áreas e parte dos trabalhadores acatou ao plano de demissão voluntária das empresas.

O secretário aponta que, com o uso maior da tecnologia e implantação da bilhetagem eletrônica, a função de cobrador perdeu espaço nos ônibus. Os rodoviários tinham anunciado uma nova paralisação para a segunda-feira (13), mas foram proibidos pela Justiça

Sobre a audiência desta terça, o procurador-geral do Estado, Jasson Hibner Amaral, disse que o governo atua como intermediário, uma vez que a relação trabalhista se dá entre categoria e empresas, mas que está aberto ao diálogo naquilo que possa ser feito pelo Estado para promover a conciliação. A expectativa, segundo ele, é que no encontro de sexta-feira seja possível um acordo.

O Sindirodoviários e o sindicato patronal foram procurados para falar da audiência, mas ainda não se manifestaram sobre o assunto. Assim que apresentarem seu posicionamento, este texto será atualizado. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Sistema Transcol Governo do ES Mobilidade Urbana sindirodoviários TRT Semobi

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.