ASSINE

Por cláusula de barreira, Patriota e PRP anunciam fusão

Na Assembleia, serão três parlamentares a partir de fevereiro: Dary Pagung, Lorenzo Pazolini e Rafael Favatto, a segunda maior bancada da Casa

Publicado em 17/12/2018 às 22h13
Assembleia Legislativa: com a fusão, PRP e Patriota terão três parlamentares na próxima legislatura. Crédito: Gazeta Online
Assembleia Legislativa: com a fusão, PRP e Patriota terão três parlamentares na próxima legislatura. Crédito: Gazeta Online

O PRP e o Patriota oficializaram, nesta segunda-feira (17), a fusão entre as duas siglas, que não haviam cumprido os critérios da chamada cláusula de barreira nas eleições de outubro. Pelo fraco desempenho em busca de cadeiras na Câmara dos Deputados – tinham que alcançar ao menos 1,5% dos votos válidos ou eleger nove deputados em Estados diferentes, no que não foram bem sucedidas – , as duas siglas ficariam sem acesso ao fundo partidário e ao tempo de TV e rádio.

O Gazeta Online já havia registrado, no último dia 11, a união, que estava nos acertos finais. O nome Patriota vai batizar a legenda, agora englobada pelo PRP. Juntos, eles têm nove deputados federais e, assim, acesso ao fundo partidário e ao tempo de TV. Na Assembleia, serão três parlamentares a partir de fevereiro: Dary Pagung, Lorenzo Pazolini e Rafael Favatto, a segunda maior bancada da Casa.

Ainda não foi definido quem presidirá o partido no Estado. "O importante é que estamos unidos. A questão da presidência vamos discutir após a fusão oficialmente ser homologada pelo TSE", afirmou Favatto, que hoje preside o Patriota.

"Isso vai ser consenso. O que for bom para o partido vai contar com o nosso apoio", diz Dary, presidente do PRP estadual.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.