ASSINE

Pescador é esfaqueado pela mulher dentro de casa em Vitória

O pescador conta que sofre violência doméstica há cinco anos e que essa é a sexta vez que é esfaqueado pela mulher. Agora, pretende pedir uma Medida Protetiva

Publicado em 03/08/2019 às 12h55
Pescador é esfaqueado pela mulher dentro de casa, em Vitória. Crédito: Elis Carvalho
Pescador é esfaqueado pela mulher dentro de casa, em Vitória. Crédito: Elis Carvalho

Um pescador, de 40 anos, foi esfaqueado no ombro pela própria mulher, uma marisqueira, da mesma idade. O crime aconteceu no bairro Santo André, em Vitória, na noite desta sexta-feira (02) dentro da residência do casal, após a acusada passar o dia bebendo cachaça. O homem conta que sofre violência doméstica há cinco anos e que essa é a sexta vez que é esfaqueado pela mulher. 

De acordo com o pescador, na tarde do última sexta (02) ele saiu de casa para vender mariscos. Como não teve sucesso com as vendas, ele voltou com a mercadoria para casa. A mulher não gostou e exigiu que o marido voltasse para rua e tentasse vender novamente.

"Fui pra rua vender e voltei para casa depois de um tempo. Percebi que ela já tinha bebido cachaça, tinha separado uma garrafa de vinho e me chamou para beber com ela. Bebi dois copos, mas percebi que ela já estava alterada, me encarando com olhar de ódio. Foi quando, por volta das 22h, perguntei o que estava acontecendo para ela me olhar daquela forma e ela já partiu pra cima de mim com a faca. Ela já estava armada, acredito que planejou isso", lembrou. 

Pescador é esfaqueado pela mulher dentro de casa, em Vitória. Crédito: Elis Carvalho
Pescador é esfaqueado pela mulher dentro de casa, em Vitória. Crédito: Elis Carvalho

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

O pescador conta que a mulher costuma ficar violenta quando ingere bebidas alcoólicas. A vítima é casada com a acusada há seis anos e, juntos, possuem uma filha de cinco anos. Ele conta que desde o nascimento da menina, passou a sofrer violência doméstica por parte da mulher. 

"Minha família sempre pede para eu sair de casa. Mas aí ela fala que minha filha está passando mal, precisando de algo... Me chama pra conversar e tranca o portão de casa para eu não sair mais. E eu acabo voltando. Agora eu pretendo sair de vez, melhor do que perder minha vida. Não quero mais, acabou. Pra mim não dá mais", desabafou. 

A vitima mostrou à reportagem do Gazeta Online diversas cicatrizes de cortes, que segundo ele, foram feitas pela marisqueira. Ele conta que essa é a sexta vez que é esfaqueado por ela.

"Eu nunca a agredi. Mas ela é violenta. Eu já denunciei, mas pela minha filha eu acabo retirando a queixa. As agressões sempre acontecem por causa da bebida. Dessa última vez foi mais grave. Tomei 17 pontos e por 5 centímetros a faca não atingiu minha artéria", conta.

Após ser esfaqueado, o marisqueiro correu para a rua, pedindo ajuda. Ele foi socorrido ao hospital por um morador e já recebeu alta. Ele conta que agora pretende pedir uma Medida Protetiva contra a mulher. O pescador registrou o caso com policiais militares ainda no hospital e esteve na Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) para levar a denúncia à Polícia Civil. Mas, como muitas dores, decidiu ir embora e retornar na delegacia segunda-feira. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
espírito santo mulher vitória

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.