ASSINE

Comissão da reforma tenta encerrar debate

O voto complementar deve ser lido nesta quinta-feira (27)

Publicado em 26/06/2019 às 11h41
Reforma da Previdência fica fora das metas dos 100 primeiros dias de governo. Crédito: Antonio Cruz/Agência Brasil
Reforma da Previdência fica fora das metas dos 100 primeiros dias de governo. Crédito: Antonio Cruz/Agência Brasil

A Comissão Especial da reforma da Previdência vai tentar encerrar o debate da matéria ainda nesta quarta-feira (26). Diferentemente do que era esperado na terça-feira (25), a expectativa nesta quarta-feira é que o voto complementar do relator Samuel Moreira (PSDB-SP) seja lido apenas na quinta-feira, segundo parlamentares ouvidos pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Ainda faltam mais de 40 inscritos no debate se pronunciarem e a liderança do colegiado não quer "atropelar a discussão".

A expectativa é que a votação na comissão comece na segunda-feira e termine a tempo de se votar a proposta no plenário da Câmara no dia 3 de julho, próxima quarta-feira, segundo fontes.

O atraso na Comissão Especial é também uma estratégia para se ganhar tempo para ampliar a discussão sobre a participação de Estados e municípios na reforma.

Na terça, governadores do Nordeste estiveram reunidos debatendo a questão. Nesta quarta, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deve ter conversas informais com outros gestores estaduais. No entanto, predomina no período da manhã, um sentimento de que "esse jogo já está jogado" e que os governadores perderam o timing para pressionar os deputados e conseguir votos para essa inclusão. Porém, o martelo ainda não está batido nesta questão.

A comissão deu início nesta manhã ao quarto dia debate desde que Moreira apresentou seu relatório. A sessão começou com uma hora de atraso.

Depois que todos os deputados inscritos falarem e a discussão for encerrada, o relator deverá apresentar seu voto complementar e será aberto um prazo para apresentação de destaques. Só depois de concluídas essas etapas poderá ser iniciada a votação. Na terça, a comissão ouviu 41 deputados, em uma sessão que durou mais de oito horas.

A Gazeta integra o

Saiba mais
previdência

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.