ASSINE

Bolsa fecha em baixa de 0,72%, a 114.160,40 pontos, e perde 0,90% na semana

Com a já precificada aprovação da PEC Emergencial, e o pouco efeito sobre o varejo doméstico nesta sexta-feira, o Ibovespa fechou esta última sessão da semana em baixa

Publicado em 12/03/2021 às 19h15
Atualizado em 12/03/2021 às 19h15
Mercado financeiro: participantes do desafio tiveram rotina semelhante a de uma gestora de investimentos
Mais fraco, o giro financeiro foi de R$ 28,6 bilhões. No mês, o índice avança 3,75%, limitando as perdas a 4,08% no ano. Crédito: Pexels/Pixabay

O Ibovespa conclui a semana acumulando leve perda de 0,90% no período, vindo de recuperação de 4,70% no intervalo anterior. Nesta sexta-feira, o índice da B3 se alinhou ao dia negativo no exterior, movido por novo avanço dos rendimentos dos Treasuries em meio à expectativa por mais inflação nos Estados Unidos, em consequência da política monetária acomodatícia e do novo pacote fiscal, de US$ 1,9 trilhão, sancionado na quinta-feira pelo presidente Joe Biden.

Com a já precificada aprovação da PEC Emergencial, e o pouco efeito da leitura sobre o varejo doméstico nesta sexta-feira, o Ibovespa, vindo de três dias de ganhos, fechou esta última sessão da semana em baixa de 0,72%, aos 114.160,40, tendo se mantido em variação mais contida, entre mínima de 113.253,10 e máxima de 114.983,76 pontos, da abertura.

Mais fraco, o giro financeiro foi de R$ 28,6 bilhões. No mês, o índice avança 3,75%, limitando as perdas a 4,08% no ano.

"Os preços ao produtor nos EUA entregaram outro ganho sólido", observa em nota Edward Moya, analista da Oanda em Nova York, chamando atenção para o aumento da demanda final no PPI, na comparação ano a ano, de 1,7% para 2,8%, o maior desde 2018.

Para o analista, o avanço da inflação ao produtor em fevereiro, que deve se estender ao mês seguinte, dá suporte à ideia de "uma subida modesta nos preços gerais", o que resultou nesta sessão em elevação dos rendimentos dos Treasuries. A depender da próxima leitura do índice, pode ganhar força o argumento de que descontrole da inflação é um "risco de curto prazo", conclui.

Neste contexto, a atenção global se volta na próxima semana para a reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), em busca de novos sinais sobre a orientação da política monetária nos Estados Unidos.

"O mercado estressou um pouco esta semana com o aumento dos juros futuros lá fora, precificando uma retomada da economia com certa inflação nos Estados Unidos, o que abriu os juros de 10 anos. Mas, como um todo, o cenário ainda é positivo, o que tem segurado um pouco é o político e as dificuldades internas", diz Márcio Gomes, analista da Necton Investimentos, que vê espaço para o Ibovespa buscar os 116 mil pontos na próxima semana, se as ações de bancos, segmento de maior peso no índice, avançarem. "É interessante notar que mesmo o setor de shoppings, diretamente atingido pela retomada do lockdown, com ações que estavam muito 'amassadas', teve bom desempenho na semana, o que talvez indique que o mercado avalia que o fundo ficou para trás, e que a perspectiva é de melhora, com a vacinação", acrescenta o analista.

Assim, Multiplan foi a segunda maior alta (+3,94%) do Ibovespa na sessão, acumulando até aqui ganho de 17,94% no mês. BR Malls subiu nesta sexta 2,21% e avança 10,90% em março, enquanto Iguatemi fechou a sexta em alta de 1,60%, avançando 10,36% no mês. Com queda de 3,08% no preço do minério de ferro nesta sexta-feira na China (Qingdao), o setor de mineração e siderurgia fechou o dia em baixa, puxada por Vale ON (-2,31%). Os bancos encerraram a sexta-feira na maioria com o mesmo desempenho da semana, negativo, com perdas entre 0,08% (Bradesco PN) e de 3,39% (Santander) acumuladas neste intervalo de cinco sessões.

Refletindo o fortalecimento global do dólar em meio à pressão sobre os juros nos EUA, o petróleo teve dia de moderada correção após os ganhos recentes, colocando Petrobras ON e PN em baixa respectivamente de 1,09% e 0,52% no fechamento desta sexta-feira Na ponta negativa do Ibovespa, destaque para perda de 5,21% em B2W, de 4,22% em Via Varejo, e de 3,56% em Lojas Americanas. No lado oposto, Embraer subiu 4,80%, Multiplan, 3,94% e Eztec, 3,03% na sessão.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.