ASSINE

Aproveite o carnaval para ganhar dinheiro e abrir seu negócio

De arquinhos a suco detox, dá para garantir uma renda extra

Publicado em 26/01/2019 às 20h11
As irmãs Giovana e Isadora Fialho Nicolao vendem pela internet os adereços de carnaval que confeccionam. Crédito: Carlos Alberto Silva
As irmãs Giovana e Isadora Fialho Nicolao vendem pela internet os adereços de carnaval que confeccionam. Crédito: Carlos Alberto Silva

O carnaval, além de ser um período de muita diversão, também é um momento propício para ganhar dinheiro. Na lista de opções para quem quer lucrar, criatividade, brilho e cor não podem faltar. Tem fantasias variadas, acessórios reluzentes, alimentos saudáveis, transporte, aluguel de casas e até mesmo roupas para pets.

Na hora de montar um negócio, uma das principais preocupações para os empreendedores é o valor do investimento. Mas, segundos os especialistas ouvidos por A GAZETA, no caso dos negócios informais, é preciso ter muito mais criatividade e vontade de trabalhar do que dinheiro.

“Você consegue vender alguns desses produtos em um dia e com esse lucro comprar mercadoria para o do dia seguinte. Quem quiser empreender pode pensar também em fazer algo com os materiais que têm em mãos, como, por exemplo, a pessoa que possui uma van realizar passeios turísticos, e quem tem casa, alugá-la”, explica o professor de empreendedorismo da UVV, Rafael Galvêas.

Foi assim que aconteceu com as irmãs Isadora Fialho Nicolao, 29 anos, e Giovana Fialho Nicolao, 30. Com pouco dinheiro e apostando nesse período de festa, há 4 anos, ainda no pré-carnaval, elas resolveram investir na confecção de acessórios carnavalescos ao mesmo tempo em que trabalhavam como publicitária e arquiteta.

“É um negócio de carnaval. Hoje, tudo o que produzimos vendemos on-line, por meio de entrega. No primeiro e segundo anos, usamos o nosso dinheiro e o cartão de crédito para comprar os materiais. Com o valor que conseguíamos com as vendas, pagávamos as contas”, lembra Isadora.

Isadora lembra ainda que foi no ano passado que o negócio começou a dar lucro. “Começamos a fazer os cálculos de produção, quanto usaríamos de material, onde comprar, qual material usar e os custos da embalagem para entrega. Então, tivemos uma base para cobrar o preço justo pelo nosso serviço. É fundamental pensar no negócio e se planejar, porque foi assim que pudemos lucrar”, aconselha.

Estratégia

A analista da Unidade de Atendimento do Sebrae, Renata Braga, lembra que, independentemente de qualquer coisa, uma empresa que já está no mercado ou um pequeno empreendedor que quer investir precisa montar sua estratégia. “Ele precisa ganhar clientes. Isso pode ser feitos por panfletagem e redes sociais, por exemplo.”

A maquiadora Suele Fontes, 32, aposta nas redes sociais para divulgar suas criações, postando semanalmente novos looks. Para ter o negócio, ela investiu R$ 4 mil em diferentes tipos de maquiagens importadas. “Como gosto de brincar com as cores da maquiagem, busquei algo mais artístico e com muita criatividade para o carnaval e como forma de diferenciar meu serviço“.

Aproveitar as oportunidades e se planejar é fundamental

Ficar atento às oportunidades para fazer do limão uma limonada é uma ótima forma de ganhar dinheiro e sair à frente da concorrência. Se no seu bairro ou região onde mora existe uma demanda por um tipo de serviço ou se você já trabalha com alguma atividade e viu que pode aumentar as vendas, os especialista aconselham aproveitar a oportunidade e se planejar.

 

A vendedora Carol Brandão, 32 anos, aproveitou uma oportunidade em potencial para lucrar. Há dois anos, devido à crise, ela foi mandada embora da loja de fantasias em que trabalhava. Desempregada e com um filho pequeno, no carnaval de 2018 decidiu fazer arquinhos para vender e, assim, conseguir colocar dinheiro dentro de casa.

A aposta deu certo e, neste ano, ela decidiu ampliar o empreendimento. Fez uma proposta de sociedade à amiga Tamara Oakes, 27, para produzir uma variedade maior de peças e em maior quantidade. As duas investiram cerca de R$ 500 em materiais diversos - tule, linhas, fitas e bases para arquinhos.

“Comprei uma máquina de costura usada e aprendi a fazer saia de tule na base da tentativa e erro. Já pensando em atender melhor nossos clientes, investimos em uma máquina de cartões. Esperamos ter uma ótima venda neste ano”, comenta Carol entusiasmada.

Tudo o que produzem é feito de forma artesanal. O quite com saia, biquíni e arquinho é vendido a R$ 90, mas ela também comercializa os itens individualmente. “Um dos produtos mais procurados é o arquinho com frases de música. O que vem escrito ‘Deus me livre, quem me dera’ é um dos favoritos”, revela.

Já Jaqueline de Jesus Chaves, 26, aproveitou a demanda das clientes para investir em maquiagens de carnaval. “Já trabalhava como maquiadora. Vi que estava chegando o carnaval e comecei a ter ideias do que eu poderia oferecer, como uma maquiagem inspirada em unicórnio”, conta.

Ela cobra R$ 80 por maquiagem feita. “Como trabalho profissionalmente com maquiagem, fiz um investimento inicial um pouco alto, mas comprando de pouco a pouco dá para equilibrar gastos e investir”, conta.

Planejamento

Mesmo sendo um investimento para um período delimitado do ano é preciso, primeiramente, estudar o mercado e entender quem são as pessoas que vão consumir aquele produto, onde vai ser vendido, o que elas querem e qual o melhor horário para a venda, aconselha o professor de marketing e empreendedorismo da Faesa, Henrique Hamerski.

“Depois de ter isso pronto, é preciso definir o tipo de produto que será ofertado - fantasias, customização de roupas, bebidas, comidas típicas, maquiagem, fornecimento de gelo, aluguel de residências e transporte, por exemplo”, explica.

Esse planejamento pode ser feito de maneira bem simples, apenas com caneta e papel anotando o que precisa ser feito, os prazos e como isso se dará.

Como investir

Acessórios de carnaval

Brincos, colares, pulseiras, enfeites de cabeça e arquinhos são alguns dos acessórios que podem ser produzidos. Para este tipo de negócio, o valor de investimento gira em torno de R$ 500. Já o lucro varia de acordo com o tipo de produto e público.

Maquiagem artística

Uma boa maquiagem faz toda a diferença no look de carnaval. Quem quer apostar nesse negócio precisa investir cerca de R$ 1 mil. Por maquiagem, a pessoa pode cobrar entre R$ 70 e R$ 120, dependendo do material utilizado.

Fantasias

Saias, body, blusas e outros itens podem ser transformados em fantasias. Será preciso definir o tipo de fantasia que será feito para decidir os tecidos e equipamentos utilizados. O investimento inicial é a partir de R$ 500. O lucro varia de acordo com a produção. Saias de tule, por exemplo, podem ser vendidas entre R$ 25 e R$ 40, cada uma.

Roupas para PETs

A confecção de roupas para pets é uma boa aposta no carnaval. Para esse projeto é preciso uma máquina de costura. O investimento inicial é a partir de R$ 500 e o lucro varia de acordo com os custos de produção.

Personalização

Muitas pessoas já têm peças de outros carnavais, ou mesmo roupas que podem se tornar fantasias, mas não sabem como fazer a personalização. Nessa hora, é comum recorrer a um profissional para personalizar as peças que já têm em casa. Para iniciar esse projeto é preciso ter uma máquina de costura. O investimento inicial é a partir de R$ 300 e o lucro vai variar de acordo com os custos.

Alimentação

Alimentos saudáveis são uma boa pedida para este período do ano. O investimento e o lucro variam de acordo com o item escolhido para vender. Mas é possível começar com R$ 100, no caso de sanduíches, e vender por R$ 5 a R$ 7 cada.

Sucos detox

Outro bom negócio é a venda de sucos detox. Em média, para fazer uma garrafa de 500 ml de suco você vai gastar de R$ 1,50 a R$ 2,50, dependendo dos ingredientes escolhidos. Já o preço de venda varia entre R$ 5 e R$ 8.

Banheiro

Quem gosta de bloco de carnaval sabe como é difícil achar um banheiro bom para ser utilizado, por isso, dá para ganhar uma grana com o banheiro de casa. O investimento é bem pequeno, basicamente papel higiênico e produtos de limpeza. E dá para cobrar entre R$ 1 e R$ 2, dependendo da estrutura e local, para que as pessoas usem.

Casa ou quarto

Se sua casa tem um quarto livre ou fica desocupada durante o carnaval, você pode alugá-la. Existem aplicativos e sites que permitem que você anuncie o local. O retorno varia de acordo com o tamanho e a localização do espaço. O pernoite em um quarto em Vitória durante o carnaval, por exemplo, varia entre

R$ 48 e R$ 250.

 

Serviços - Motorista particular

Em períodos de grande movimentação de pessoas e turistas, a procura pelo serviço aumenta mais. Para entrar neste negócio, é preciso primeiro ter Carteira de Motorista e um carro. O lucro vai variar de acordo com o número de corridas, tendo casos em que o motorista recebe até R$ 3 mil.

Passeios

No carnaval, a movimentação de visitantes nos balneários aumenta muito. Isso gera uma oportunidade para quem conhece o local. Essas pessoas podem apresentar passeios e a região para quem é de fora.

A Gazeta integra o

Saiba mais
carnaval dinheiro

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.