ASSINE
Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica aqui, diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

Pazolini se anima a ser prefeito de Vitória

Se resolver entrar mesmo nessa disputa, Pazolini pode ter uma boa velocidade de arranque, com o bom capital político que conseguiu reunir logo em seu ingresso na política

Publicado em 01/04/2019 às 22h33
Charge. Crédito: Amarildo
Charge. Crédito: Amarildo

Político de primeiro mandato, o deputado estadual Lorenzo Pazolini está gostando cada vez mais da ideia de ser candidato a prefeito de Vitória em 2020 – ideia essa que não para de ser soprada nos ouvidos dele por aliados.

Se resolver entrar mesmo nessa disputa, Pazolini pode ter uma boa velocidade de arranque, com o bom capital político que conseguiu reunir logo em seu ingresso na política. Na primeira eleição do ex-chefe da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, no ano passado, ele mostrou que larga forte: no geral, foi o 2º candidato a deputado estadual mais votado, com 43.293 votos. Só ficou atrás de Sergio Majeski (PSB), que passou dos 47 mil votos. Especificamente em Vitória, Pazolini foi o 3º mais votado, com quase 10 mil votos.

Pazolini se elegeu pelo modesto Partido Republicano Progressista (PRP), dentro da coligação de Renato Casagrande (PSB). Em âmbito nacional, o PRP não superou a cláusula de barreira. Para sobreviver, fundiu-se ao Patriota. A fusão é um dos casos excepcionais em que um deputado pode se desfiliar da sigla pela qual se elegeu sem risco de perder o mandato. Aproveitando o ensejo, o delegado pulou fora. Agora, seu passe está livre e se tornou o mais cobiçado no mercado político capixaba.

Pazolini admite já ter recebido convites de muitas siglas para se filiar. Via de regra, a proposta de filiação vem acompanhada do oferecimento de legenda para ele concorrer à prefeitura. “Não vou ser leviano. Recebi muitas propostas e estou conversando com muitos partidos”, conta ele.

“Eu não planejava isso. Me preparei para estar aqui [no Legislativo]. Não sou do mundo político. Estou aqui para aprender. Não sei por quê, mas realmente surgiram os convites. Não respondi e estou avaliando com muita sinceridade, mas com muita felicidade e humildade por ser lembrado”, completa.

Cauteloso, o deputado prefere não declinar os partidos que o convidaram. Mas um deles (e dos graúdos!) não é mistério algum. Na convenção do PSDB de Vitória no último domingo, Pazolini marcou presença e ouviu convites feitos publicamente pelo atual presidente estadual do partido, César Colnago, e pelo provável sucessor de Colnago na direção estadual da legenda, o também deputado estadual Vandinho Leite – com quem Pazolini, por sinal, tem excelente relação política.

O convite de filiação feito pelos tucanos também vem com o projeto de lançamento de Pazolini na eleição a prefeito de Vitória. Mais que se reerguer, o PSDB precisa se reciclar. Para isso, necessita de caras novas. Esse encontro pode ser o da fome com a vontade de comer.

Enquanto isso, também a fim de se distinguir, Pazolini tem buscado dar demonstrações de independência em plenário. Mesmo considerando-se integrante da base de Casagrande – o que ele reafirmou ontem à coluna –, o deputado tem feito críticas pontuais ao governo. Na semana passada, reclamou de falhas na articulação política por parte da Casa Civil. Ontem, criticou duramente o governo por não discutir com os deputados o programa Estado Presente. Foi rebatido pelo líder do governo, Enivaldo dos Anjos (PSD).

Pazolini rechaça que ele queira se deslocar da base e que isso faça parte de uma estratégia. “Não estou me deslocando. Tenho muito respeito e consideração pelo governador e sua equipe. Mas não tenho compromisso com o erro. E é o que tento fazer no meu mandato.”

A Gazeta integra o

Saiba mais
praça oito vitor vogas

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.