ASSINE
É juiz de Direito aposentado e escritor. Aborda temas atuais com uma visão humanista, com foco nos direitos humanos. Escreve às quartas

Muitos são os caminhos, mas Jesus é o único da verdade e da vida

No Brasil, as Comissões de Justiça e Paz, criadas em muitas dioceses, inclusive na Arquidiocese de Vitória, muito contribuíram para conscientizar os cristãos de que é dever evangélico lutar pela justiça para alcançar a paz

Publicado em 22/07/2020 às 05h00
Atualizado em 22/07/2020 às 05h01
Para o pastor Alex Sander de Moura, Jesus está voltando e vai levar Seu povo para a eternidade
O ato de rezar ou orar, ensino por Cristo, precisa ser acompanhado do agir. Crédito: Freepik

Jesus Cristo disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida". Muitos caminhos são propostos às pessoas como rota de vida – a busca do dinheiro, a conquista de posições e poder, a ambição de ser o primeiro.


São caminhos falsos ou passageiros. Jesus Cristo é o caminho. Doutrinas, sistemas de pensamento são propostos como verdade. Podem conter alguma verdade porque os seres humanos são dotados de inteligência e criatividade.

Mas são apenas reflexos da verdade. Jesus Cristo é a verdade.

Livros são escritos tentando ensinar o que é vida. Muitos conseguem traduzir um pouco de vida. Podem ser adequados a nossas buscas, podem reduzir nossas incertezas e angústias. Mas só Jesus Cristo é realmente vida.

O ato de rezar, orar, foi ensinado por Jesus Cristo – orai para que vossa alegria seja completa (Evangelho de João, capítulo 15). Entretanto, não basta apenas orar, mas também agir.

Na cultura judaica, que é a raiz da Bíblia Sagrada, acredita-se que quando o espírito ora o corpo se move também. Quando está em oração, o judeu movimenta seu corpo continuamente. Em outras palavras, ao orar age.

No Brasil, as Comissões de Justiça e Paz, que foram criadas em muitas dioceses, inclusive na Arquidiocese de Vitória, muito contribuíram para conscientizar os cristãos de que é dever evangélico lutar pela justiça para alcançar a paz.

Em Vitória, a Comissão de Justiça e Paz foi criada por Dom Luiz Gonzaga Fernandes, que era bispo auxiliar, com apoio do arcebispo Dom João Baptista da Motta e Albuquerque. Tive a imensa graça de integrar essa comissão.

Justiça jesus cristo religião

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.