ASSINE
Jornalista de A Gazeta. Há 10 anos acompanha a cobertura de Economia. É colunista desde 2018 e traz neste espaço informações e análises sobre a cena econômica.

Ministro de Bolsonaro assume compromisso de construir ferrovia no ES

Novo chefe da Infraestrutura garantiu o investimento ao governador Casagrande

Publicado em 03/01/2019 às 15h35
Ferrovia Vitória-Minas: renovação de concessão vai viabilizar construção de novo trecho. Crédito: Agência Vale
Ferrovia Vitória-Minas: renovação de concessão vai viabilizar construção de novo trecho. Crédito: Agência Vale

O novo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, informou na tarde desta quinta-feira (03) que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) vai trabalhar para a construção da ferrovia EF-118, no Sul capixaba.

Pelo Twitter, Freitas disse que conversou com o governador Renato Casagrande (PSB) e garantiu o compromisso da União para a construção do trecho entre Cariacica e Anchieta.

A sinalização é importante, uma vez que mostra que a nova equipe está disposta a dialogar com o Estado, mesmo após o fato de, na gestão passada, de Michel Temer (MDB), o Espírito Santo ter sofrido uma dura rasteira nesta área.

Há cerca de seis meses, o próprio Tarcísio - que era no governo passado secretário de coordenação do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) - anunciou que a contrapartida para a renovação antecipada da Estrada de Ferro Vitória-Minas (EFVM) não seria mais a construção de um ramal no Estado, como era esperado, mas sim que quem se beneficiaria pelo novo contrato da Vale com o governo federal seria a parte central do país, com a chamada Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico).

A decisão do governo gerou grande insatisfação no Estado, que chegou a entrar na Justiça, durante a gestão de Paulo Hartung (sem partido), para evitar que a ferrovia fosse para o Centro-Oeste. Durante o período de transição, o novo governador Renato Casagrande (PSB) também disse que lutaria para o ramal ser construído em terras capixabas.

O novo chefe do Executivo Estadual também se pronunciou nesta tarde sobre o tema no Twitter. Casagrande agradeceu o ministro e falou sobre a importância desse investimento para o Espírito Santo. Por outra rede social, o Instagram, o governador reforçou o diálogo com o integrante da equipe de Bolsonaro.

 

"Diante da notícia de que o Estado poderia ficar sem o investimento da Ferrovia Litorânea Sul, entrei em contato com o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. Na ligação, ele reafirmou o compromisso do Governo Federal em garantir o início da construção da EF-118, partindo do trecho entre Cariacica e Anchieta. E fez questão de postar a notícia em seu Twitter. Esse investimento será importante para o desenvolvimento do Espírito Santo e do Brasil. Muito obrigado, ministro. Os capixabas agradecem!", declarou em sua rede social.

Por enquanto, ainda não estão claras quais são as condições que serão colocadas na mesa para viabilizar a EF-118, pelo menos até Ubu. Antes, as negociações entre a equipe de Temer e de Hartung indicavam uma possível utilização de créditos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que a Vale tem com o governo do Estado. Outra opção que chegou ser citada foi a de utilizar parte dos recursos da outorga da Ferrovia Centro Atlântica (FCA) para construir a EF-118.

Até aqui podemos olhar o lado cheio e o lado vazio do copo. O vazio é que está sacramentada a decisão do time de Bolsonaro de que a contrapartida pela renovação antecipada da Vitória-Minas será a construção da Fico e não da EF-118.

A coluna, que vem acompanhando desde julho o imbróglio, já havia alertado, em novembro, inclusive para o fato de que a escolha de Freitas poderia ter dois efeitos: o de confirmar que o Espírito Santo ficaria em segundo plano, o que está se confirmando, mas ao mesmo tempo de que haveria uma pessoa no governo de Bolsonaro com disposição para manter o canal que foi construído em 2018 com o governo do Estado.

PRIORIDADES

Nesta quarta-feira (02), ao tomar posse do cargo de ministro, Tarcísio Freitas deixou claro a preferência pelo ramal entre Água Boa (MT) e Campinorte (GO), além de ter reforçado que uma de suas prioridades vai ser renovar os contratos de concessão de ferrovias e, com isso, fazer com que as concessionárias invistam em novas linhas.

"Cito como exemplo a estrada de ferro Vitória-Minas, cuja outorga vai se transformar em uma ferrovia de integração do Centro-Oeste". Segundo ele, a construção da Fico terá início ainda este ano. "Isso vai acontecer logo, este ano", prometeu.

Mas também podemos olhar o lado cheio do copo, que é a disposição da nova equipe de buscar uma saída para resolver esse impasse no Estado. Agora, nos resta acompanhar o desenrolar dos próximos capítulos. Sempre com a expectativa de que resulte em um final feliz para o Espírito Santo.

A Gazeta integra o

Saiba mais
beatriz seixas espírito santo jair bolsonaro opinião paulo hartung renato casagrande espírito santo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.