ASSINE
Autor(a) Convidado(a)
É secretário-geral do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Espírito Santo – Setpes

Mesmo vacinados, turistas devem agir de maneira responsável

Embora todo o trânsito atual de viajantes seja fundamental para a economia e para o setor de turismo, ações irresponsáveis podem atrapalhar o caminho para o fim da pandemia

Publicado em 20/01/2022 às 14h09
Praia de Carapebus, Serra
Praia de Carapebus, na Serra. Crédito: Ricardo Medeiros

Dezembro e janeiro são meses em que o Espírito Santo, tradicionalmente, recebe turistas dos quatro cantos do país. São pessoas que se interessam principalmente pelas praias capixabas e aproveitam o verão para relaxar ao sol. Depois de um período atípico, a alta temporada 21/22 voltou a movimentar as atividades turísticas no litoral capixaba.

Segundo pesquisa divulgada pelo governo federal no último dia 13, o Índice de Atividades Turísticas cresceu 4,2% em novembro de 2021 no país, a sétima alta consecutiva. No ano, um ganho acumulado de 57,5%.

O rodoviário, diante da alta dos valores das passagens aéreas, vem se fortalecendo e supera, inclusive, o período pré-pandemia. De acordo com a Clickbus, maior plataforma on-line de transações para o transporte rodoviário de ônibus no Brasil, no Natal de 2021, a alta foi de 57% em relação a 2019. Já no réveillon o crescimento foi de 31%.

Embora todo esse trânsito de viajantes seja fundamental para a economia e para o setor do Turismo, ações irresponsáveis podem atrapalhar o caminho para o fim da pandemia, com avanço da vacinação e diante de todos os cuidados adotados até aqui. Digo isso diante de um aumento significativo de casos em todo o país, principalmente com a chegada da variante Ômicron.

Este vídeo pode te interessar

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a nova cepa é um fator determinante para que a recuperação do turismo atrase mais alguns meses. E mais, a entidade estima que o impacto econômico do setor na pandemia chega a R$ 463,8 bilhões.

Outro estudo da CNC aponta que enquanto o faturamento de 2021 deve chegar a um avanço de 22,5%, 2022 deve ter um aumento de 1,7%, com o retorno efetivo do setor a partir de setembro.

O viajante deve estar atento às recomendações de segurança, como o uso de máscaras, a higienização frequente das mãos e o ainda fundamental distanciamento social. E o mesmo vale para os empresários e funcionários do setor. Juntos, é possível promover um turismo seguro, que irá proporcionar lazer, entretenimento e segurança a turistas, empresários, colaboradores e moradores de destinos turísticos.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.