ASSINE

Horta comunitária atende cerca de 400 pessoas em bairro de Cachoeiro

A área onde agora são plantadas oito tipos de leguminosas e verduras era cheia de mato e servia até de esconderijo para bandidos

Publicado em 02/08/2019 às 14h12

Uma ideia que começou em 1993 continua fazendo a diferença para os moradores do bairro Village da Luz, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado. O “hortão”, como é conhecido hoje, distribui verduras e legumes para mais de 400 pessoas. Tudo gratuitamente.

A área onde agora são plantadas oito tipos de leguminosas e verduras, como couve, alface, almeirão, batata doce e abóbora, segundo os moradores, era cheia de mato e servia até de esconderijo para bandidos.

Ademir Francisco, que foi o idealizador da horta, resolveu cercar 100m² e começou a plantar há 25 anos. “Eu tive a ideia de fazer a horta para cuidar das famílias carentes, das crianças de baixo peso, gestantes, pessoas doentes, e de todo mundo que precisasse.”

A horta é aberta e todo o bairro ajuda a tomar conta, inclusive com pessoas que trabalham de forma voluntária. “As famílias que a gente atende são pessoas que realmente não tem condição de comprar”, disse a voluntária Ângela Silva.

Luiz Carlos, que é morador do bairro Village da Luz, conta que a horta ajuda muito nas refeições em casa. “A gente pega um pouquinho de cada coisa e ajuda muito.”

Para o “Seu” Ademir, como é chamado pelos vizinhos, o trabalho na horta vai além da doação dos produtos. “Eu fico muito feliz em ter esse hortão aqui pra atender a população, porque a gente mostra o valor da terra, que hoje está muito abandonada, então, nós precisamos envolver as crianças e mostrar pra eles que nós precisamos da terra.”

A Escola Municipal Maria Stael de Medeiros Teixeira é uma das instituições que aprovam o envolvimento dos alunos com o plantio na horta. “Nós estamos desenvolvendo um projeto na escola que é do campo para cidade, então temos a aula teórica lá e aula prática no hortão.”

A aluna Hillary Lopes aprovou a ideia da escola porque no plantio ela pode conhecer melhor as verduras e os legumes. “Lá em casa já está tudo preparado, e a minha mãe só coloca o sal e tempera, aqui ainda está na terra.”

A entrega dos produtos aos moradores pode ser feita em qualquer dia da semana, mas não têm hora marcada porque depende da produção. Os voluntários avisam aos moradores quando podem ir buscar. Além das pessoas cadastradas, várias outras chegam no local e não saem de mãos vazias.

A Gazeta integra o

Saiba mais
doacao

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.