ASSINE

Alckmin segue com bens bloqueados após interrupção de julgamento

A Justiça determinou o bloqueio de até R$ 9,9 milhões em bens do ex-governador em um processo que investiga o repasse de caixa dois da Odebrecht para a campanha dele ao governo paulista, em 2014

Publicado em 26/08/2019 às 16h55
Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo. Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil
Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo. Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil

O desembargador Antonio Celso Aguilar Cortez, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), pediu vista e interrompeu o julgamento que analisava o processo que bloqueou os bens do ex-governador Geraldo Alckmin. Ele segue com os bens bloqueados.

Em abril, a Justiça determinou o bloqueio de até R$ 9,9 milhões em bens do ex-governador em um processo que investiga o repasse de caixa dois da Odebrecht para a campanha dele ao governo paulista, em 2014.

O Ministério Público afirma que Alckmin teria recebido pelo menos R$ 7,8 milhões da empreiteira, via caixa dois.

O pedido de vista paralisou o julgamento na manhã desta segunda-feira (26). O relator do processo, Antonio Carlos Villen, no entanto, já havia se manifestado e votado pelo não provimento do desbloqueio dos bens.

A defesa do tucano alega que a decisão era "fundada em erro grave". Os advogados já tentaram suspender a medida em maio, mas o pedido foi negado. Ainda não foi marcada uma nova data para o julgamento.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Geraldo Alckmin Odebrecht

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.