ASSINE

Quatro detentos fogem de cadeia em Vila Velha

A Polícia Militar conseguiu recapturá-los. Morador da Comunidade do Xuri reclama que fugas são recorrentes

Publicado em 26/08/2019 às 19h33
Penitenciária de Vila Velha. Crédito: G1
Penitenciária de Vila Velha. Crédito: G1

Quatro detentos foram recapturados após fugirem do Complexo Penitenciário de Xuri, em Vila Velha, nesta segunda-feira (26). Conforme informou a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), os internos cumprem pena na Penitenciária Semiaberta do município e realizam trabalho na área externa do presídio.

Durante patrulhamento da Polícia Militar, os quatro foram abordados e confessaram terem fugido durante realização do trabalho externo. Eles foram encaminhados à Delegacia Regional de Vila Velha para os devidos trâmites legais.

Questionada pelo Gazeta Online se os detentos podem perder o direito ao regime semiaberto, a Sejus relatou que depende da análise do juiz que vai pegar o caso. "Só se cometeram novo crime ou se o juiz assim entender que devem voltar para regime fechado", pontuou.

MORADOR RECLAMA DE FUGAS RECORRENTES

De acordo com Antônio Venâncio, morador da Comunidade do Xuri, as fugas são recorrentes e a população que vive no local sofre com isso. Ele relata que quase toda semana tem fuga no presídio e cobra uma posição das autoridades.

"Já perdi as contas de quantos presos já fugiram. Estamos sofrendo com isso, acaba com a tranquilidade da comunidade. Toda vez é feito o chamado via 190, a Polícia Militar faz buscas e nada mais. Se achar, eles prendem", disse.

A Sejus ressaltou em nota que o Complexo de Xuri conta com cinco unidades prisionais, sendo uma de regime semiaberto. Informou, ainda, que a maioria das evasões ocorre com internos que realizam trabalho externo na unidade prisional, ou em empresas conveniadas e que, após jornada de trabalho, devem retornar ao presídio para dormir. Nesses casos, os presos ja estão em processo final de cumprimento de pena e prestes a voltarem para o convívio social.

"A vigilância das unidades é feita durante 24 horas por inspetores penitenciários, tendo um rigoroso controle da contagem do número de detentos da unidade. Quando é detectada a ausência de presos nos horários estabelecidos, a Sejus aciona a Policia Militar para auxiliar nas buscas para localização dos foragidos", detalhou a secretaria.

A Gazeta integra o

Saiba mais
espírito santo vila velha

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.