ASSINE

Adolescente é estuprada pelo tio em Vila Velha

Um soldador de 38 anos foi preso na tarde desta segunda-feira (25) suspeito de abusar da sobrinha, uma adolescente de 14 anos.

Publicado em 26/02/2019 às 18h52
Fachada da DPCA. Crédito: Marcos Fernandez | Arquivo
Fachada da DPCA. Crédito: Marcos Fernandez | Arquivo

Um soldador de 38 anos foi preso na tarde desta segunda-feira (25) suspeito de estuprar a sobrinha, uma adolescente de 14 anos, em Vila Velha. O caso foi denunciado à Polícia Civil pela mãe da garota. O nome do homem detido não será divulgado para preservar a identidade da vítima.

O crime ocorreu no dia 21 e outubro de 2018, mas foi divulgado na tarde desta terça-feira (26) pelo titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), delegado Diego Aleluia. Ele explicou que a vítima estava em uma reunião familiar com a mãe, tio e demais parentes na casa de vizinhos. A adolescente decidiu ir para a casa de uma sobrinha dela, que fica próxima ao local da festa.

“O tio disse que ia para casa dos pais e saiu da reunião. A mãe da menina foi para a casa onde a filha tinha ido e viu que ela estava tomando banho. A mãe deixou a casa trancada e foi comprar um lanche para a adolescente. Depois do banho, a garota foi para o sofá assistir televisão e percebeu que alguém tinha pulado o muro da casa”, disse o delegado.

Segundo o delegado, a adolescente pensou que fosse um irmão dela. “Percebeu que era o tio e então permaneceu assistindo televisão. Só que em um determinado momento, o tio tentou passar as mãos nas pernas dela. Ela questionou a atitude e o tio foi para a cozinha. Ele voltou e estuprou a sobrinha. Ela narra que o tio estava sob o efeito de álcool e que também estaria sob o efeito de entorpecentes, pois estava com o nariz sangrando”, relatou.

Após o crime, a adolescente ficou calada e contou para uma irmã de 19 anos somente no dia seguinte. A mãe delas foi à delegacia no mesmo dia e denunciou o crime. De acordo com a polícia, o suspeito tentou subornar a vítima para que ela não denunciasse o estupro.

“Foram realizados exames na adolescente que constataram que houve conjunção carnal, mas o suspeito se negou a fazer o exame de DNA, que comprova a compatibilidade genética do material examinado na adolescente", revelou.

Em cumprimento a um mandado de prisão temporária, policiais da DPCA prenderam o suspeito na empresa onde ele trabalha. O nome e o local do estabelecimento não foram informados pela polícia. O suspeito não resistiu a prisão e decidiu se manifestar somente perante o juiz.

“O suspeito tentou subornar a adolescente, oferecendo uma quantia em dinheiro para que ela não contasse para ninguém. Nós fomos até a residência do detido e encontramos pinos utilizados para armazenar drogas, os policiais também efetuaram a apreensão do celular do suspeito. A prisão é temporária pela influência familiar que ele exerce e pela tentativa de suborno identificada”, contou o delegado. O suspeito foi indiciado por estupro e encaminhado para Penitenciária Estadual de Vila Velha V (PEVVV).

A Gazeta integra o

Saiba mais
abuso sexual estupro

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.