ASSINE

Secretário sobre acusações de assédio em escola: "Denúncias são graves"

Vitor de Angelo considerou acusações gravíssimas e garantiu que os alunos não ficarão sem respostas sobre o caso

Publicado em 26/06/2019 às 21h24
O professor Vitor Amorim de Angelo será o secretário de Estado da Educação. Crédito: Carlos Alberto Silva
O professor Vitor Amorim de Angelo será o secretário de Estado da Educação. Crédito: Carlos Alberto Silva

O secretário de Educação Vitor de Angelo se mostrou intolerante a qualquer caso de assédio sexual que possa acontecer dentro das escolas no Espírito Santo. Ele definiu as denúncias em uma escola da Serra como gravíssimas e disse que o Estado tem dever de proteger todos os alunos. 

Vitor de Angelo

Cargo do Autor

"amos proteger todos os jovens que estiverem matriculados nas nossas escolas. Nós estamos aqui para garantir que o aluno tenha educação pública de qualidade e não para que ele vá para a escola e seja assediado sexualment"

Como o caso está sendo tratado pela Secretaria de Educação?

Eu pedi prioridade na Corregedoria para esta investigação para que isso seja resolvido o mais rápido possível. As denúncias são graves. É inadmissível, se comprovado o fato, que a gente tenha este tipo de situação dentro das nossas escolas. 

Nas redes sociais, ex-alunos começaram a relatar outros casos de assédio, indicando que a situação é recorrente e antiga na escola. Como o senhor vê estas acusações?

A nossa postura será sempre de muita justiça e, por isso, precisamos incentivar todas as meninas e também os meninos para que denunciem. Assédio sexual é crime, não há nunca como compactuar com isso. Mesmo que não fosse crime, é uma postura totalmente avessa aos propósitos que temos para nossa escola e por isso é inadmissível.

Existe um medo muito grande entre os estudantes que o caso não seja investigado ou que eles não sejam ouvidos. O que você pode falar para esses alunos?

Eu posso garantir que, caso as denúncias sejam confirmadas, isso não será acobertado, é um caso grave, gravíssimo. Não há nenhuma intenção nossa de acobertar ou de buscar saídas alternativas. A Secretaria não existe para garantir emprego de gestores, nós estamos aqui para garantir que o aluno tenha acesso a educação pública de qualidade e não para que vá a escola e seja assediado sexualmente. 

Caso outras alunos tenham sofrido assédio, nesta mesma escola ou em outra do Estado, qual a orientação?

Eles podem ir pessoalmente à Secretaria. Entendo que talvez seja um pouco constrangedor e, caso seja, o canal mais objetivo e eficaz é o Fale Conosco. O aluno pode fazer a denúncia por lá que nós iremos receber e dar início ao processo investigativo. Eles não ficarão sem resposta, eu posso garantir. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
assedio assedio sexual clovis borges miguel escola estadual clóvis borges miguel serra serra

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.