ASSINE

Rede Gazeta promove debate sobre efeitos do extremismo

Professores da Ufes e da UFRJ estarão em discussão sobre o comportamento radical

Publicado em 02/08/2019 às 22h35
Rede Gazeta. Crédito: Cedoc
Rede Gazeta. Crédito: Cedoc

Atualmente é comum nos depararmos com discussões acaloradas nas redes sociais. Qualquer publicação, por mais que seja de um assunto corriqueiro, se torna palco de desavença. Mas esse comportamento radical das pessoas sempre existiu ou nós é que passamos a notá-lo de uns tempos para cá? Esse é um dos temas que serão debatidos na próxima quarta-feira, dia 7, no auditório da Rede Gazeta, em Vitória, na próxima edição do “Encontros do Saber”, que vai discutir os extremismos no século XXI.

“As redes sociais contribuem para esse movimento de extremistas, mas não são essas mídias que produzem a reação. Na verdade, elas ajudam os reacionários a se encontrarem”, considera o historiador Michel Gherman, que é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e um dos convidados do evento promovido pela Revista.ag em parceria com a Casa do Saber Rio.

Os extremistas, ou reacionários, como Gherman denomina, são pessoas que defendem que os costumes “voltem no tempo”, sejam como era antigamente.

Um exemplo pontuado pelo especialista é a visão dessa parte da população sobre os homossexuais. Ele destaca que os gays sempre existiram e que o movimento LGBT teve início nos anos 70. Nesta época, os homossexuais começaram a circular pelos espaços públicos e a exercer a sexualidade de forma livre.

“O reacionário quer viver na época em que essas pessoas eram reprimidas, quando a sociedade negava sua existência. O progressista e o conservador acreditam em um mundo melhor, mas o reacionário é aquele crê em um passado melhor. E estes ficam incomodados com as pessoas que não são como eles”, explicou Gherman.

O evento também vai contar com a participação do jornalista José Antônio Martinuzzo, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), que vai fazer uma explanação sobre o extremismo sob a luz do comportamento humano e da psicanálise. O objetivo do Encontros do Saber, segundo a diretora de transformação da Rede Gazeta, Leticia Lindenberg, é proporcionar uma troca de conhecimento.

“A proposta deste projeto é trazer temas atuais que acrescentem na vida das pessoas. Por isso escolhemos especialistas articulados que possibilitam um debate enriquecedor sobre como os extremismos influenciam nas relações da sociedade”, frisa a diretora.

DOAÇÕES

Assim como nas edições anteriores do Encontros do Saber, o desta quarta-feira também vai beneficiar uma instituição: o Asilo dos Velhos de Vitória. Pomadas cicatrizantes, pasta d’água e avental descartável são os produtos necessários para ajudar no atendimento aos idosos.

Esses materiais podem ser encontrados em farmácias ou lojas de produtos hospitalares. Para ter acesso ao Encontros do Saber, as pessoas devem fazer inscrição e trazer um item para beneficiar a instituição.

A Gazeta integra o

Saiba mais
rede gazeta ufes

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.