ASSINE

Motorista de aplicativo é esfaqueada por cliente e grava áudio por socorro

Caso ocorreu no Mato Grosso do Sul. Para ser socorrida, ela compartilhou tanto a localização quanto a gravação interna do carro em um grupo de mulheres que também são motoristas de aplicativos.

Tempo de leitura: 3min
Publicado em 22/05/2022 às 16h58

Uma motorista de aplicativo foi esfaqueada durante uma corrida na noite de sexta-feira (20) em Campo Grande (MS). Ao perceber que estava sendo atacada pelo passageiro, Audineth Aguiar, 44, acionou um dispositivo da plataforma 99 - por onde realizava a corrida - que grava áudios no interior dos veículos.

Foi por meio da gravação que Audineth conseguiu pedir socorro. No áudio, que circula em redes sociais, é possível ouvir a motorista pedindo para ser atendida.

"Eu estou cortada, eu estou morrendo. Me furou toda de faca. Olha aí, olha onde eu estou. Moço, me socorre, eu fui assaltada, ele me furou toda de faca. Sou Uber e estou toda furada, me ajuda a chegar até o posto", diz ela.

À TV Globo, uma amiga da motorista disse que ela fez uma corrida no bairro Santa Emília entre 20h e 20h30. Foi quando o passageiro pediu a ela que entrasse em uma rua fora do trajeto indicado pelo app e começou a desferir golpes de faca.

O relato dado à emissora é de que Audineth começou a buzinar, o que levou o agressor a fugir. Além de recorrer à 99, ela compartilhou tanto a localização quanto a gravação interna do carro em um grupo de mulheres que também são motoristas de aplicativos.

Ainda segundo a amiga, as motoristas correram para ajudá-la e acionaram a polícia.

Procurada pela reportagem, a Uber diz que Audineth não dirigira pela empresa desde 2019. A 99 confirmou que se tratava de uma motorista parceira e afirmou estar prestando todos o auxílio possível. Além disso, a plataforma também declarou ter bloqueado o perfil do último passageiro de Audineth.

Audineth foi encaminhada para a Santa Casa de Campo Grande. A reportagem tenta contato com o hospital para saber o estado de saúde da motorista.

A SSP-MS (Secretaria de Segurança Pública do Mato Grosso do Sul) também não retornou a reportagem.

Confira a nota enviada pela 99:

"A 99 lamenta profundamente o ato de violência contra a motorista parceira. Audineth Aguiar. Assim que a empresa tomou conhecimento do ocorrido, imediatamente bloqueou o perfil do passageiro e busca contato com a família para acolhimento e suporte para acionamento do seguro. A 99 está à disposição das autoridades para dar toda a colaboração necessária nas investigações.

A empresa investe constantemente em ferramentas de segurança para a prevenção, proteção e acolhimento de todos os usuários e motoristas parceiros, antes, durante e depois das viagens. Entre as medidas estão o compartilhamento de rota com contatos de confiança, monitoramento da corrida, gravação de áudio e botão para ligação direta para a polícia. Além das inteligências artificiais para identificar riscos, mapeamento de áreas de risco, câmeras de segurança nos veículos e uma central de segurança que funciona 24h, 7 por semana."

A Gazeta integra o

Saiba mais
Mato Grosso do Sul crime Motorista de Aplicativo

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.