ASSINE

Mãe morre ao receber boato via WhatsApp sobre ataque em escola no ES

Na imagem compartilhada, um dos trechos informava que haveria um massacre na escola, que "objetivo é destruir o prédio, mas, se forem alunos, irá ter sangue"

Publicado em 02/07/2019 às 18h12
Mãe infarta e morre ao receber fake news de ataque em escola de Anchieta. Crédito: Arquivo da família
Mãe infarta e morre ao receber fake news de ataque em escola de Anchieta. Crédito: Arquivo da família

Uma mulher de 47 anos morreu no início da tarde desta terça-feira (02), em Limeira, interior de Anchieta, Litoral Sul do Espírito Santo, após receber uma informação falsa de que a escola na qual um dos filhos estuda sofreria um atentado. O boato tomou conta da comunidade. A dona de casa Ana Lúcia Cardoso da Silva passou mal e sofreu um infarto.

Segundo a estudante do curso de técnica de enfermagem, Fernanda Aparecida Casale, que é sobrinha da dona de casa que morreu, por volta das 11h20, a comunidade começou a receber informações do boato, que logo se espalhou entre as mães de alunos da Escola Estadual Coronel Gomes de Oliveira.

Na imagem compartilhada, um dos trechos informava que haveria um massacre na escola, que “objetivo é destruir o prédio, mas, se forem alunos, irá ter sangue”.

Imagem que circulou no WhatsApp. Crédito: Reprodução | WhatsApp
Imagem que circulou no WhatsApp. Crédito: Reprodução | WhatsApp

Ana Lúcia tinha problema de hipertensão, obesidade e diabetes. “Ela estava bem, fazendo caminhadas todos os dias de manhã. Ela estava no posto e uma mãe comentou sobre a notícia do ataque que foi se espalhando. Uma vizinha começou a passar mal, ela chegou e tudo aconteceu. Parecia bem, mas do nada caiu e logo veio a óbito”, conta Fernanda Casale.

Fernanda Aparecida Casale, sobrinha da dona de casa que morreu

Uma notícia falsa que tirou a vida de outra pessoa. Isso é uma irresponsabilidade

A sobrinha conta que tentou reanimar Ana Lúcia, antes da chegada do Samu. “Fiz os primeiros socorros, mas quando o Samu chegou constatou o óbito. Fiz massagem cardíaca, mas não tinha pulso”, revela.

Ana Lúcia tinha dois filhos, uma jovem de 25 anos, que tem necessidades especiais, e um rapaz de 17 anos, estudante da escola alvo dos boatos. A dona de casa esteve no posto de saúde durante a manhã para pegar uma receita médica da filha.

O corpo será velado na Igreja Assembleia de Deus, na comunidade de Limeira. O sepultamento será no cemitério de Jabaquara, ainda sem horário definido.

O QUE DIZ A SEDU

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Educação informou que "a Direção da Escola informou que o dia letivo foi cumprido normalmente e que tomou conhecimento do falecimento da mãe no início da tarde. O caso está sendo monitorado pela Patrulha Escolar e todas as providências foram tomadas".

O QUE DIZ A POLÍCIA

A Polícia Civil informa que investiga todos os casos formalizados nas delegacias, e orienta que as vítimas desse tipo de caso registrem a ocorrência em qualquer delegacia, munidas de todo material que comprove o crime e que auxilie a polícia no trabalho de investigação.

"A Polícia conta com a colaboração da população e qualquer contribuição para identificação de suspeitos podem ser feitas por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, onde é possível a pessoa anexar imagens e vídeos de ações criminosas. O sigilo e anonimato são garantidos".

A Gazeta integra o

Saiba mais
anchieta fake news

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.