ASSINE

Manifestantes criticam "centrão" e STF em ato pró-Bolsonaro no ES

De acordo com os manifestantes, cerca de 50 mil pessoas participaram do evento, que foi realizado em uma praça da capital Vitória, na tarde deste domingo (26)

Publicado em 26/05/2019 às 19h01

Assim como aconteceu em várias outras cidades do país, milhares de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL) se reuniram em um ato na Região Metropolitana de Vitória, na tarde deste domingo (26). A concentração principal ocorreu na região da rua Ceará, na Praia da Costa, em Vila Velha, e de lá foram em caminhada pela Terceira Ponte até a Praça do Papa, em Vitória. De acordo com Humberto Pinto, do movimento "Vitória da Ética", houve a participação de 50 mil pessoas. Por nota, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) informou que a estimativa de participantes na manifestação deste domingo é de 35 mil pessoas. 

Muitos manifestaram participaram da mobilização carregando faixas e cartazes com mensagens de apoio a projetos do Governo, como a Reforma da Previdência e o Pacote Anticrimes. Durante a mobilização também foram feitos discursos de apoio ao ministro da Justiça Sérgio Moro e ao ministro da Economia Paulo Guedes.

As principais críticas foram concentradas ao conjunto de partidos chamado de "Centrão". Na avaliação dos manifestantes, essas legendas estariam travando a aprovação de projetos do governo para atrapalhar Bolsonaro. O deputado federal Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, também recebeu críticas, assim como ministros Supremo Tribunal Federal (STF), como Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

CABO DE GUERRA

Para ilustrar as críticas que faziam à oposição, manifestantes fizeram uma encenação teatral com um cabo de guerra. De um lado, personagens representando o presidente Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão e o ministro Sérgio Moro tentavam puxar o país para frente, enquanto personagens representando o ministro do STF, Gilmar Mendes, o ex-presidente Lula e o deputado federal Rodrigo Maia puxavam o país em direção contrária.

O funcionário público João Sossai esteve no protesto com um cartaz de apoio à Reforma da Previdência e afirmou que as manifestações são uma forma de pressionar os políticos. "Todos os brasileiros precisam lutar pelo Brasil, para melhorar as condições e fazerem os nossos políticos trabalharem honestamente", opinou o professor. 

O ato também contou com o apoio de caminheiros que fizeram um buzinaço em ruas da capital capixaba, desde o Centro de Vitória. Alguns manifestantes que discursaram no trio elétrico também apoiaram o corte de verbas nas universidades federais, argumentando que o país precisa organizar suas contas e que muitos estudantes vão para a universidade consumir drogas.

"Eles estão produzindo só fumaça e alucinação. Chega de universidade virar um antro de vagabundos. Universidade é para quem quer estudar, produzir e ensinar. Lugar de vagabundo é na cadeia. Quem é Bolsonaro dá um grito", disse um dos manifestantes, em um trio elétrico.

Um dos momentos mais celebrados do ato foi a travessia por milhares de manifestantes, que passaram da cidade de Vila Velha para a capital Vitória caminhando pela Terceira Ponte, um dos principais cartões-postais da região. O ato foi finalizado por volta de 17h30.

A Gazeta integra o

Saiba mais
cbn cotidiano cbn vitoria reportagens

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.