ASSINE

Policial atira dentro de boate na Praia do Canto e causa pânico entre clientes

Cerca de 180 pessoas estavam no local. Alguns deles ameaçaram agredir o policial depois da confusão

Publicado em 24/12/2015 às 08h54
Atualizado em 28/02/2020 às 21h33

Foto: Vitor Jubini

Clientes de uma boate na Praia do Canto, em Vitória, passaram por momentos de pânico na madrugada desta quinta-feira (24), após uma confusão envolvendo um policial militar que frequentava o local. Ele discutiu com um dos clientes e acabou disparando dois tiros contra o chão. Os estilhaços acertaram um segurança e outras cinco pessoas. 

De acordo com o chefe da segurança do estabelecimento, o policial entrou armado por volta de 1h30 e teve a arma registrada pelo segurança, como é feito com todos os policiais. Ele ficou no local até 4 horas, quando entrou na fila para pagar a conta. A fila estava grande, e um dos clientes fez uma queixa à segurança de que o policial estava passando na frente dos outros. 

Nesse momento,  o policial pegou a carteira militar e esfregou, literalmente, na cara do cliente, dizendo "sou policial". Os dois começaram a discutir e foram separados por seguranças. 

Nesse momento, o policial sacou a arma e tentou ir em direção ao cliente. Um dos seguranças apartou, e o policial deu dois tiros de pistola .40 no chão. As balas estilhaçaram e acertaram as pernas do segurança e de outras cinco pessoas. 

Havia 180 pessoas dentro da boate, que entraram em pânico. As portas foram abertas para evitar pisoteamentos. O policial também colocou a arma da cintura e foi embora "como se nada tivesse acontecido", como conta o próprio chefe da segurança.

No entanto, do lado de fora da boate clientes reconheceram o policial e ameaçaram agredi-lo. O PM acabou imobilizado por um segurança e levado de volta para a boate. A Polícia Militar foi acionada, e o PM foi conduzido para a Divisão de Homicídios. O caso está sob responsabilidade do DPJ de Vitória. Membros da Corregedoria da Polícia Militar também estiveram no local. 

Os seis atingidos por estilhaços de bala sofreram ferimentos leves. 

O dono da boate estima em R$ 10 mil o prejuízo causado pela saída repentina dos clientes durante a confusão causada pelo PM. 

Com informações de Victor Muniz

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.