ASSINE
Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica aqui, diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

Torino é indicado para relatar processo contra Assumção, colega no PSL

Corregedor-geral da Assembleia, Hudson Leal, indicou Torino Marques para relatar o pedido de investigação da Procuradoria Geral da Casa contra Assumção, por quebra de decoro. Torino reluta em aceitar a designação

Publicado em 16/09/2019 às 10h15
Atualizado em 16/09/2019 às 13h27
Torino Marques é integrante da bancada do PSL, mesmo partido de Capitão Assumção. Crédito: Tati Beling/Ales
Torino Marques é integrante da bancada do PSL, mesmo partido de Capitão Assumção. Crédito: Tati Beling/Ales

Colega de bancada de Capitão Assumção no PSL, o deputado Torino Marques foi indicado pelo corregedor-geral da Assembleia, Hudson Leal (PRB), para relatar a denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da Casa contra Assumção, por quebra de decoro parlamentar. Torino confirma a indicação, mas reluta em aceitar assumir a relatoria do caso. 

"Sim. Hudson me procurou, conversou comigo e me disse que gostaria de me indicar como relator. Mas ainda não há definição sobre isso. Ainda vamos conversar na Corregedoria."

Na última quinta-feira (12), a Procuradoria da Assembleia protocolou denúncia junto à Corregedoria em face de Assumção, por possível violação do artigo 294 do Regimento Interno da Assembleia. É o artigo que caracteriza discursos de incitação à prática de crime como "atentatórios contra o decoro parlamentar".

Na quarta-feira (11), da tribuna do plenário, Assumção declarou que daria R$ 10 mil do próprio bolso para o homem que assassinar o autor do homicídio da jovem Maiara de Oliveira, em Cariacica. 

A denúncia é assinada pelo procurador-geral da Casa de Leis, Rafael Teixeira de Freitas. O corregedor-geral, Hudson Leal, decidiu escolher o relator respeitando um rodízio que segue ordem pré-estabelecida entre os membros da Corregedoria. Hudson poderia avocar o processo (assumir a relatoria), mas não pretende fazer isso. 

Escolhido por Hudson, Torino tampouco se mostra à vontade com a designação. Sobre a conduta de Assumção, ele contemporiza e alivia o peso da fala do colega de bancada. Segundo ele, "cada um tem o seu mandato e exerce o mandato como quer". 

"Não tenho uma definição [sobre aceitar a relatoria]. Cada um tem o seu mandato e exerce o mandato como quer. Estamos todos muito consternados com a situação da segurança pública no Espírito Santo. Ele fez uma fala muito feroz. Não retiro as palavras dele porque foram as palavras dele. Mas só estava consternado com a situação. O Capitão Assumção é um deputado muito amável. Foi no calor do momento. Então depende dele. O mandato é de cada um e cada um faz o seu mandato como quer. Mas ele tem aqui grandes amigos para dar a ele bons conselhos."

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
psl torino marques Capitão Assumção

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.