ASSINE

Psicologia promove práticas saudáveis de ensino e aprendizagem

Profissionais podem promover, nas instituições de ensino, a busca pela compreensão e reflexão dos modos de vida

Publicado em 03/05/2019 às 19h16

Psicologia na sala de aula

Suzana Maria Gotardo Chambela*

A atuação de psicólogos nas instituições de ensino – sejam elas de ensino fundamental, médio ou superior – contribui para práticas saudáveis de ensino e aprendizagem, tendo em vista que a aprendizagem e o desenvolvimento humano são temas sobre os quais a Psicologia se debruça historicamente enquanto ciência e profissão. O Dia da Educação, lembrado em 28 de abril, é importante para reafirmar a importância do debate acerca da atuação desses profissionais nos ambientes escolares e no contexto educacional em geral.

O que deve pautar a atuação do profissional de Psicologia na educação hoje não é mais a busca pelo ajustamento dos estudantes a modelos idealizados. Para além dos atendimentos individuais, que também são parte importante do trabalho nas escolas, é preciso atuar com os diversos atores que movimentam a comunidade escolar, auxiliando na produção de estratégias que garantam práticas formativas efetivas, inclusivas e saudáveis. Seu trabalho deve se dar, ainda, no sentido de contribuir para que as relações sejam coletivizadas, fraternas, solidárias e libertárias.

O debate, contudo, não deve ser restrito às crianças e adolescentes, como o senso comum costuma nos guiar ao falarmos de educação. É urgente que as instituições de nível superior que oferecem graduações, mestrados e doutorados, também atuem na promoção da saúde mental de seus estudantes. É preciso prevenir o sofrimento psíquico, cada vez mais comum em tais espaços. Um ambiente de produção acadêmica saudável traz ganhos a todos: docentes, discentes e sociedade em geral, por meio da formação de profissionais de excelência e da produção intelectual e técnica de qualidade.

Em tempos de patologização e medicalização dos comportamentos divergentes e da própria vida, os profissionais da Psicologia podem promover, dentro das instituições de ensino, a busca pela compreensão e manejo da reflexão e análise dos modos de vida e das relações produtoras de tanto sofrimento no contemporâneo. Também são fundamentais para o acolhimento, escuta e encaminhamento de casos que demandam acompanhamento especializado, seja por negligência, violência ou agravos de saúde.

O aprendizado de conteúdos curriculares é muito importante para o desenvolvimento humano, mas construir a aprendizagem de maneira plural, acolhendo diferenças e promovendo parceria entre os diversos atores envolvidos no processo é o grande desafio que se coloca para quem atua na Educação. E a Psicologia tem uma contribuição ímpar a oferecer nessa jornada.

*A autora é psicóloga do Ifes Campus Santa Teresa e conselheira do Conselho Regional de Psicologia do Espírito Santo (CRP-ES)

A Gazeta integra o

Saiba mais
educação

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.