ASSINE

Falta informação sobre interdição na Leitão da Silva

Prefeitura e DER-ES não explicam quando ocorrerá interdição que havia sido anunciada

Publicado em 02/07/2019 às 21h50
Pequeno trecho foi interditado no acesso à Avenida Leitão da Silva pela César Hilal. Crédito: Carlos Alberto Silva
Pequeno trecho foi interditado no acesso à Avenida Leitão da Silva pela César Hilal. Crédito: Carlos Alberto Silva

A nova interdição na Avenida Leitão da Silva, em um trecho de aproximadamente 60 metros entre a César Hilal e a Rua da Escola Estadual Desembargador Carlos Xavier Paes Barreto, que dá acesso à Avenida Rio Branco, no bairro Praia do Suá, em Vitória, foi sinalizada ontem, mas as duas faixas da via ainda não foram interditadas e não há informação sobre quando a obra começa.

Na última segunda-feira (1º), a Prefeitura de Vitória publicou no site a notícia alertando os motoristas sobre a interdição temporária de duas faixas da via, que começaria ontem com duração de aproximadamente um mês, informando que, nesse período, o trânsito vai fluir em uma via.

No entanto, a reportagem de A GAZETA esteve ontem no local e identificou que a interdição não aconteceu como foi anunciada. A via estava apenas sinalizada no cruzamento da César Hilal e nenhuma obra estava ocorrendo no local. Por isso, a prefeitura foi procurada reportagem para dar detalhes sobre como irá funcionar o trânsito no local durante o período anunciado.

Em resposta, a Secretaria de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória (Setran) explicou, por nota, que apenas autorizou o pedido de interdição feito pelo governo do Estado. A Setran diz ainda que será o Departamento de Estradas de Rodagem o responsável por estabelecer quais faixas serão usadas para a obra e por quanto tempo.

“O local da interdição e a definição das faixas de rolamento que continuarão a ser usadas ou fechadas ocorre de acordo com critério do governo do Estado, que é quem conduz as obras e possui o cronograma”, explicou a Setran por meio de nota.

O Departamento de Estrada de Rodagem (DER-ES) também foi procurado por A GAZETA e confirmou que é o responsável pela interdição do trecho de 60 metros. Segundo o DER-ES, a obra será para instalação de tubulações metálicas na rede de água da Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), que abastece a região. O órgão, porém, não soube informar quando as duas faixas serão interditadas e nem quando a obra terá início. Já a previsão de término e liberação total da pista no trecho é para o início de agosto.

De acordo com o DER-ES, desde segunda-feira (1º) o órgão já está autorizado a bloquear as faixas e começar a obra, mas isso depende da avaliação da equipe de trabalho, que vai definir o melhor momento para a interdição acontecer. Ontem, o local foi cercado e colocado placas com indicativos de interdição na pista.

O DER-ES esclareceu que a interdição será feita nas duas vias da direita, ao lado da calçada, diferente da informação divulgada pela prefeitura em seu site, utilizada como base para a reportagem de A GAZETA publicada ontem.

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
vitória

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.