ASSINE

Visagismo de orelha é a nova moda: combine piercings e brincos com o seu estilo

A técnica vem se popularizando no Brasil. Através de um estudo de harmonização, profissionais da área conseguem criar uma análise personalizada buscando a tendência que melhor se adapta ao rosto de cada um

Rede Gazeta
Publicado em 27/10/2020 às 16h52
Grazi Massafera é uma das adeptas do visagismo de orelha
Grazi Massafera é uma das adeptas da novidade. Crédito: Reprodução instagram

O visagismo é a arte de revelar o melhor da identidade de um ser humano, com harmonia e estética. Este conceito foi desenvolvido por Philip Hallawell, artista plástico paulista que estuda e pesquisa como o cérebro capta as imagens. No livro "Visagismo: harmonia e estética", ele reforça que o conceito de visagismo não se limita apenas à beleza exterior, mas traduz o estilo e a personalidade do indivíduo. Ou seja, a prática responde de forma visual o velho questionamento de como você quer ser visto pelo mundo.  

A influencer Tássia Naves também é adepta o visagismo de orelha
A influencer Tássia Naves também é adepta o visagismo de orelha. Crédito: Reprodução Instagram

A moda no mundo do visagismo que analisa a harmonia de piercings e perfurações na orelha não é exatamente uma novidade, mas se tornou uma preocupação maior mais recentemente. Principalmente depois que celebridades como a atriz Grazi Massafera e a influencer Tássia Naves aderiram à novidade.  Profissionais em estética tem se especializado em visagismo auricular ou "Visagismo na orelha": furos simétricos nos lóbulos e escolhas de acessórios com tamanho e formato ideal para cada cliente.

Visagismo de orelha
Bianca Borges fez o curso para se tornar bodypiercer no ano passado e ficou encantada com o visagismo auricular. Crédito: Pinterest

Bianca Borges é uma dessas profissionais e atua em Vitória. Ela fez o curso para se tornar bodypiercer no ano passado e ficou encantada com o visagismo auricular. Bianca chegou a procurar um curso em São Paulo, mas as aulas foram canceladas por causa da pandemia e não há previsão de retorno. A profissional decidiu estudar por conta própria e foi se especializando e colocando em prática seus conhecimentos.

“O visagismo nada mais é do que o profissional entender a anatomia de cada cliente e saber o que fica melhor para cada orelha. O objetivo é enaltecer da orelha do cliente, montando um projeto com joias diferentes e perfurações específicas.”

O tipo de piercing mais procurado é da perfuração Hélix, mas Bianca alerta que ele não fica bonito em qualquer formato de orelha. É aí que entra o olhar apurado do profissional que sugere outras possibilidades aos seus clientes.

Divulgação
A tatuadora Cinthia Gonçalves adora seus brincos e piercings na orelha . Crédito: Divulgação

Cinthia Gonçalves tem 33 anos e é tatuadora. Sempre gostou de brincos na orelha, acessórios diferentes e de sair do básico. Ela fez o primeiro piercing há cinco anos e, desde então, nunca mais parou com as perfurações diferentes da orelha. A tatuadora contou que adora o estilo que conquistou devido aos brincos nas orelhas e que se sente mais bonita com qualquer roupa. Cinthia ressaltou ainda que usa joias de titânio específicas para cada um de seus furos.

O material também é bem importante. Antigamente, eram usadas as famosas “pistolas de farmácia” que possuem um alto risco de contaminação por não serem esterilizadas ou descartáveis. O uso delas é proibido atualmente. A perfuração segura é feita com cateteres descartáveis ou agulhas chamadas de Blade, específicas para aplicação do piercing. Tudo devidamente esterilizado.

A aplicação deve ser feita sempre com jóia em titânio, pois ela tem grau de implante e é biocompatível com o corpo humano por não conter níquel, o que evita incômodos, irritações ou inflamações.

QUAIS SÃO OS CUIDADOS DEPOIS DE COLOCAR O PIERCING?

De acordo com a Bianca, o processo de cicatrização pode demorar de dois a quatro meses, depende da perfuração. E antes disso, a pessoa precisa tomar algumas precauções como:

-Não dormir em cima da perfuração enquanto o processo de cicatrização não terminar.

-Fazer compressa com soro fisiológico gelado pelo menos duas vezes ao dia

-Nunca deixar a área úmida. Utilizar um cotonete para secar com cuidado

-Lavar com sabonete hipoalergênico na hora do banho

-Evitar bebidas alcoólicas e alimentos gordurosos durante a cicatrização.

-Fazer a primeira troca de jóia, no mínimo, depois de 30 dias da perfuração, quando a área já estiver mais bem cicatrizada.

E DÓI?

A tatuadora Cinthia Gonçalves adora seus brincos e piercings na orelha
A tatuadora Cinthia Gonçalves se acha mais bonita e estilosa depois que aderiu aos brincos e piercings . Crédito: Divulgação

A body piercer garante que a dor é muito relativa. Alguns clientes sentem um pouquinho a mais que outros. “Não é uma dor tão considerável assim. Muitos clientes ficam surpresos quando termino o procedimento, pois esperavam que fossem sentir muito mais”. Cinthia Gonçalves concorda e, com seus 13 furos (nas duas orelhas), garante que a dor não passa de um leve incômodo.

É muito importante ter consciência de que uma perfuração na cartilagem da orelha necessita de cuidados constantes. Mesmo depois de muito tempo após a aplicação, ainda existe a possibilidade de inflamação ou formação de queloide, por isso o cuidado exige uma frequência.

Dependendo do local onde for feito o furo, a pessoa pode sofrer dificuldades para trocar a jóia e precisará da ajuda de um profissional.

É preciso pesquisar bastante e buscar indicações para encontrar as melhores referências. E sempre desconfiar de estabelecimentos que cobrem muito barato.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.