ASSINE

Sextou! O tradicional 'Happy Hour' agora acontece em casa

O consumo de bebidas alcóolicas em casa aumentou durante a período de isolamento. Esse foi o jeito que o ‘quarentener’ encontrou pra manter os momentos de descontração com os amigos e a família no fim do dia

Publicado em 03/07/2020 às 16h28
Atualizado em 03/07/2020 às 16h29
Amigas confraternizando em casa
Amigas confraternizando em casa. Crédito: Kelsey Chance; Unsplash

O happy hour, que acontecia nos bares da Grande Vitória antes do isolamento social, migrou para as casas dos capixabas. É em família, e com a presença online de amigos, que essa forma de entretenimento vem se consolidando e faz aumentar, por exemplo, as demandas do delivery das cervejas.

Exemplo dessa realidade é a Convento Cervejaria. A empresa é local e segundo um dos sócios, Leonardo Leal, a nova maneira de consumir o produto potencializou os negócios. “E acreditamos que é um caminho sem volta”, complementa.

A experiência dele não é a única, o que pode ser notado em um levantamento recente feito pela consultoria Opinion Box. Os dados mostram que o aumento dos pedidos delivery durante a quarentena foi de 26%. Além disso do total de dois mil entrevistados, 16% disseram ter aumentado a ingestão de bebidas alcoólicas em casa.

Gabriel Lordello e Katiuscia Lordello
O casal Gabriel e Katiuscia Lordello cozinham em casa e optam pelo delivery de cerveja artesanal e queijos. Crédito: Igor Lordello

Gabriel Lordêllo

Fotógrafo

"A maioria dos ‘happy hours’ tem acontecido com a família mesmo"

O fotógrafo Gabriel Lordêllo conta que durante a pandemia ele aproveita os fins de semana para beber com a família e passou a usar o serviço de delivery. “Tenho usado muito delivery, principalmente nos finais de semana. Eu encomendo as cervejas em uma cervejaria que conhecia e alguns queijos, também por delivey. Além disso, eu e minha esposa sempre nos programamos para fazer uma comida diferente em casa, minha sogra também está ficando aqui, daí juntamos todo mundo e fazemos o nosso happy hour”.

“Também tenho uns amigos de uma confraria que costumávamos reunir cada mês na casa de um e, com a pandemia, fizemos um encontro online. Mas a maioria dos ‘happy hours’ tem acontecido com a família mesmo”, acrescenta.

“Por isso, estamos atentos para oferecer um produto de primeira qualidade, que torne esse happy hour em casa ainda mais especial. Somando a isso uma estratégia de entrega própria, com aplicativo próprio e site, que nos garantem melhor preço, mais agilidade e conforto para os clientes”, explicou o empresário Leonardo Leal.

Fique bem Isolamento social Apoie Empreendedores Capixabas

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.