ASSINE

Ifes de Alegre desenvolve horta autossustentável

O projeto de aquaponia une cultivo de hortaliças com a criação de peixes e garantiu o Prêmio Biguá de Sustentabilidade na categoria Ensino Superior

Publicado em 09/12/2020 às 17h38
Atualizado em 09/12/2020 às 17h38
Dona Djanira com suas hortaliças
Dona Djanira após a colheita de cebolinha em sua horta autossustentável. Crédito: Matheus Martins

O almoço na casa da dona Djanira começa pela horta. Desde pequena criou o hábito de ter alimentos frescos, que tira da terra. Cresceu, casou, teve filhos e nunca deixou de lado o cultivo. Hoje, é responsável por um projeto pioneiro que une um sistema híbrido de produção de hortaliças e peixes.

Ela mora no interior de Jerônimo Monteiro, Região Sul do Estado, na localidade de Fazenda Gironda, a 30 quilômetros da sede do município. E foi lá, que um professor do curso de Engenharia de Aquicultura, do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) a encontrou. “Ele veio aqui, fez a horta e perguntou se eu cuidava, desde então, colhi muito alface e agora é cebolinha e tomate. Nunca tinha visto uma cebolinha crescer e ficar tão bonita assim”, disse a agricultora.

Dona Djanira na colheita de cebolinha em sua horta
Dona Djanira na colheita de cebolinhas em sua horta sustentável. Crédito: Matheus Martins

Mas essa horta que a dona Djanira é responsável há oito meses, é um pouco diferente do que estava acostumada. É um sistema de Aquaponia, ou seja, a união da produção de hortaliças no sistema de hidroponia - cultivo na água - e criação de peixes, no caso dela, são tilápias.

Projeto

A ideia foi desenvolvida no Laboratório de Aquicultura Sustentável do Ifes/Campus de Alegre. Professor e alunos desenvolveram um sistema que é sustentável, com canos de pvc, caixa d ' água, bombas e filtros, chegaram a um sistema hídrico, de baixa manutenção e custo. O primeiro foi implantado em um lar de Idosos, ainda em 2019, mas foi desativado temporariamente por causa da pandemia.

Agora, o projeto foi implantado no campo, e a dona Djanira foi a escolhida para avaliar a funcionalidade do sistema, fora de um ambiente urbano. “A gente ainda está verificando a durabilidade do bambu, se vai ser eficiente e quais problemas pode oferecer. Quando terminar esse ciclo, vai ser possível avaliar o custo total dele”, explicou Thiago.

Professor do IFES responsável pelo projeto de aquaponia, que fornece água para cultivo da horta.
Thiago, professor do IFES responsável pelo projeto de aquaponia. Crédito: Matheus Martins

Como funciona

O sistema é uma integração da criação de peixes junto com plantas. O ciclo começa dentro do tanque onde ficam os peixes. A água dos peixes junto com dejetos e restos de ração, vão para uma caixa que funciona como um decantador. Dela, passam por dois biofiltros, que transformam a amônia gerada desse processo em nitrato, por um ação e bactéria, e essa água filtrada vai para o sistema de hidroponia. Gerando assim, um ciclo completo.

Foto Horta Sustentável 02
Projeto de horta sustentável desenvolvido por professor e alunos do IFES. Crédito: Matheus Martins

“Essa transformação da amônia em nitrato é menos tóxica para os peixes e é altamente nutriente para as plantas, que o absorvem de forma mais eficiente, com isso crescem mais rápido. E quando essa água volta ao tanque de peixes, não é tóxica para os animais”, explicou Thiago.

Alunos

Os alunos são fundamentais nesse projeto, são eles que fazem o controle. Vão visitar a propriedade a cada 15 dias e fazem a análise da água para garantir que esteja dentro dos níveis permitidos.

“A gente vem para ver a saúde dos peixes e monitorar se estão bem. Fazemos a análise de água e colheita das plantas, e quando tem algum problema, a Dona Djanira avisa e a gente vem!”, disse Leonardo Periard, estudante do curso de Engenharia em Aquicultura.

O projeto ainda vai levar mais seis meses para ficar pronto e ser levado a outros locais. Mas uma coisa é certa, ele é sustentável e está em equilíbrio com o meio-ambiente.

Prêmio Biguá

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.