ASSINE

Selita planeja inauguração de novo complexo industrial em 2021

Com mais de 30 mil metros quadrados de área, o novo parque vai funcionar em Safra, no município de Cachoeiro de Itapemirim

Publicado em 15/12/2020 às 12h45
Atualizado em 15/12/2020 às 12h45
Mix de produtos da Selita
A Selita possui um mix de mais de 80 produtos, que são comercializados no Estado e também no Rio e na Bahia. Crédito: Selita/Divulgação

A produção de alimentos saborosos, saudáveis e confiáveis está no DNA da Selita. A cooperativa presente há 82 anos no mercado capixaba é formada por cerca de 1.800 cooperados que estão localizados em 51 municípios do Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A maior parte dos associados é formada por pequenos produtores.

Em um ano marcado pelas medidas de enfrentamento ao coronavírus, a empresa apresenta otimismo quanto à retomada da economia. E um dos motivos para o bom ânimo é a construção do novo parque industrial em Safra, no município de Cachoeiro de Itapemirim, na região Sul do Estado.

“Uma indústria moderna, com equipamentos de última geração, sustentável, com capacidade de receber até 800 mil litros/dia de leite, vai nos proporcionar produzir uma maior variedade de produtos, além da diminuição nos custos e aumento na produtividade”, pontua o presidente da Selita, Leonardo Monteiro. 

O local terá uma área construída de 30.000 metros quadrados. A previsão é de que o espaço seja inaugurado no segundo trimestre de 2021. A Selita produz vários tipos de leite UHT, creme de leite, queijos de diversos sabores, manteiga, requeijão, doce de leite, iogurtes e bebidas lácteas. Ao todo, são mais de 80 itens.

Unidade da Selita
Novo complexo industrial terá capacidade de receber até 800 mil litros de leite por dia. Crédito: Selita/Divulgação

CADEIA PRODUTIVA

De acordo com Leonardo, um dos reflexos causados pela pandemia foi a dificuldade para aquisição de embalagens, um dos setores mais afetados da cadeia produtiva da marca. Por causa das medidas de distanciamento social e para evitar o contágio do coronavírus, outra mudança foi a decisão de instalar parte da equipe em trabalho remoto. A cooperativa gera cerca de 400 empregos diretos e 10 mil indiretos.

“O ano de 2020 está sendo atípico, causado pela pandemia que influenciou toda a cadeia produtiva. Mesmo assim, por meio de diversas intervenções e com a colaboração e comprometimento dos nossos cooperados e colaboradores, realizamos diversas mudanças no dia a dia da empresa. Estamos seguindo todos os protocolos do Ministério da Saúde e algumas adaptações”, pontua.

Para garantir a lembrança da Selita como Marca de Valor para o consumidor capixaba, a cooperativa promete manter o trabalho com dedicação e eficiência. Presença garantida nos municípios capixabas, os produtos da Selita também são distribuídos em parte do Estado do Rio de Janeiro (Capital e norte fluminense) e no sul da Bahia.

Leonardo Monteiro

Presidente da Selita

"Vamos continuar produzindo alimentos com a qualidade cada vez mais apurada, novos produtos de acordo com os desejos e necessidade de nossos consumidores, acima de tudo, fortalecendo a marca Selita como excelência em laticínios no Espírito Santo"
Presidente da Selita, Leonardo Monteiro
Presidente da Selita, Leonardo Monteiro está confiante que 2021 será um ano melhor . Crédito: Wallace Huii/Divulgação
Marcas de Valor Cooperativas

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.