ASSINE

Novo conceito de lar faz Rede Construir crescer mesmo na pandemia

Pequenas reformas durante os meses de quarentena geraram lucro para a empresa, que planeja expandir ainda mais no próximo ano

Publicado em 16/12/2020 às 15h25
Atualizado em 16/12/2020 às 15h25
Rede Construir
Rede Construir está há 11 anos no mercado capixaba e inovou neste ano em parcerias com fornecedores. Crédito: Rede Construir/Divulgação

Ficar em casa foi a principal recomendação feita pelos órgãos de saúde em 2020. De fato, por muitos meses as famílias ocupavam apenas o espaço doméstico. Nesse contexto, surgiu a intenção de transformar o que antes era um local somente para dormir, após um longo dia cumprindo obrigações fora, em um ambiente aconchegante para suprir todas as necessidades que surgissem. Por isso, durante a pandemia do novo coronavírus, muitas pessoas resolveram apostar em pequenas reformas.

Alexander Kill, presidente da  Kimacol, uma das unidades da rede de lojas de material de construção Rede Construir, afirma que sentiu o reflexo dessa mudança de comportamento com o aumento na procura por materiais de construção para pequenas reformas. “Desde o início da pandemia, houve um aumento significativo da demanda. Em tempos de incertezas e menos locomoção, as famílias se uniram mais. Investir no sonho e no conforto familiar pareceu ser o mais correto”, observa.

Mesmo com a demanda maior por materiais de construção, 2020 ainda foi um ano difícil de enfrentar e cheio de incertezas, visto que ninguém havia passado por uma situação parecida anteriormente. Alexander Kill explica que, para superar as dificuldades, a Rede Construir precisou inovar em diversos âmbitos.

“Uma política de parceria forte com os fornecedores e um centro de distribuição para atender todos os associados. Também temos uma gestão profissionalizada com tomada rápida de decisões, e buscando soluções imediatas para os problemas que foram aparecendo, como a falta de produtos. Sem dúvida isso está ajudando a passar por esse momento da melhor forma possível.”

Alexander Kill, presidente da loja Kimacol - Rede Construir
Alexander Kill valoriza o trabalho que tem sido realizado pelos associados da empresa. Crédito: Rede Construir/Divulgação

A solução de problemas está na história da Rede Construir. A organização começou há 11 anos, a partir da necessidade de pequenos e médios empresários varejistas de material de construção em lutar por mais competitividade com os grandes nomes do setor.

NOVOS TEMPOS

Apesar dos desafios, 2020 foi considerado bom para os negócios da Rede Construir e a expectativa é de melhorar ainda mais no próximo ano. A chegada de uma vacina para controlar o novo vírus é uma esperança para o futuro, com a plena retomada de atividades em vários setores da economia, na avaliação de Kill. 

"Esperamos um ano de 2021 muito positivo. Crescemos em número de associados e faturamento em 2020, e em 2021 vamos continuar crescendo”, planeja.

Para que em 2021 a empresa continue sendo reconhecida como uma marca de valor, a Rede Construir vai manter o respeito ao consumidor. “Além de honrar a confiança que ele tem pela nossa marca, vamos continuar trazendo boas oportunidades e muitas novidades”, finaliza o presidente. 

Marcas de Valor

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.