ASSINE

Gabriel Medina avalia novo sistema de decisão do título mundial de surfe: 'A parte mental foi a mais difícil'

Brasileiro alcançou o terceiro título mundial em novo formato de eliminatórias em Trestles...

Publicado em 15/09/2021 às 05h05
Atualizado em 15/09/2021 às 08h30
 Crédito: Sean M. Haffey / AFP
Crédito: Sean M. Haffey / AFP

O brasileiro Gabriel Medina admitiu que o novo sistema de disputa do título do Circuito Mundial da WSL foi desafiador. Tricampeão do mundo ao derrotar o compatriota Filipe Toledo nesta terça-feira, em Trestles (EUA), o paulista garantiu que estava preparado para surfar até um número maior de baterias.- Eu acho que a parte mental foi a mais difícil. Quando você fica na frente dos outros no ranking, acha que já deveria ter ganhado o título, mas vim aqui para surfar e se tiver que surfar mais para ganhar, eu vou surfar mais e mais. Eu trabalhei forte antes de vir para cá e se tivesse que surfar seis baterias, eu estaria pronto para isso. Então, é incrível ganhar o primeiro título disputado assim, especialmente com o Filipe, que para mim é o melhor surfista nestas ondas de Trestles - declarou Medina.

> Confira a classificação atualizada do Brasileirão 2021 e simule as rodadas!

Gabriel falou emocionado sobre o suporte do amigo e adversário Filipe na caminhada rumo ao tri mundial.

- Ele (Filipe) me deu os parabéns lá dentro e fora d´água também e a verdade é que sempre há muito respeito entre todos nós. Algumas pessoas pensam que somos rivais e até pode ser dentro d´água, mas eu respeito todo mundo. O Filipe, o Italo e todos que estão no Tour são bons o suficiente para vencer também e eu aprendi que tem que respeitar a todos. A gente viaja pelo mundo inteiro e, mentalmente e emocionalmente, isso é muito difícil, então a gente se apoia com amor e amizade entre nós - disse Medina.Essa foi a segunda decisão de título mundial consecutiva entre dois brasileiros. A primeira foi em 2019, quando Gabriel tentava um inédito bicampeonato consecutivo, mas perdeu a final do Pipe Masters para Italo.

O potiguar chegou com certo favoritismo ao confronto desta terça, depois de se tornar o primeiro medalhista de ouro da história do surfe nas Olimpíadas, em Tóquio, e de ter ficado em segundo lugar no ranking das sete etapas do Circuito Mundial.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.