ASSINE

Gatito brilha e garante Botafogo na 3ª fase da Copa do Brasil

No tempo normal, Alvinegro sofre, empata em 1 a 1, mas vê paraguaio pegar duas cobranças e decidir nas penalidades; Glorioso chega à terceira fase da Copa do Brasil

Publicado em 20/02/2020 às 00h30
Gatito pegou duas penalidades e garantiu o triunfo alvinegro. Crédito: Vitor Silva/Botafogo
Gatito pegou duas penalidades e garantiu o triunfo alvinegro. Crédito: Vitor Silva/Botafogo

Gatito Fernández salvou o Botafogo mais uma vez. Nesta quarta-feira, no Estádio dos Aflitos, o Alvinegro foi pior durante o tempo normal e teve que se contentar com o empate em 1 a 1, com gols dos camisas 10 Jean Carlos, pelos donos da casa, e Bruno Nazário, pelos cariocas. Nos pênaltis, brilhou a estrela do goleiro paraguaio, que pegou duas cobranças e deu a vitória ao Glorioso por 4 a 3 nos pênaltis. 

Nos primeiros 20 minutos, muita intensidade no Aflitos. Inflamado pelo bom público, o Náutico chegou com perigo em cabeçadas de Matheus Carvalho, nas mãos de Gatito, e de Diego Silva, bloqueado por Benevenuto. O Botafogo respondeu com chute venenoso de Bruno Nazário, que Jefferson defendeu. Danilo Barcelos, atuando como meia, também teve chance, mas desperdiçou na pequena área.

Na sequência da primeira etapa, Botafogo esfriou o jogo e ficou mais com a bola. O Cícero, escalado como centroavante, levou perigo em chute cruzado. Mas quando o Alvinegro parecia dominar, o destaque do Timbu apareceu. Jean Carlos recebeu de Paiva na entrada da área, chutou forte, rasteiro, e explodiu o Aflitos: 1 a 0. No lance seguinte, o camisa 10 alvirrubro quase fez o segundo em chutaço de longe, mas Gatito voou para espalmar.

Para o segundo tempo, Autuori voltou com Pedro Raul no lugar de Cícero, mas as dificuldades seguiam para o Botafogo. Pressionado, o Glorioso atacava sem organização e oferecia contra-ataques. Mas aí, foi a vez do 10 do alvinegro aparecer. Pela direita, Luiz Fernando tirou a marcação com bonito corte e cruzou para Bruno Nazário subir no tempo perfeito e desviar de cabeça para o gol pernambucano: 1 a 1.

Após o empate, só deu Nático. Aos 33, após cruzamento rasteiro de Hareda, o ex-botafoguense Jorge Henrique, completamente livre na pequena área, furou. Pouco depois, o medalhão se redimiu ao esticar linda bola e deixar Erick na cara do gol. O atacante, mesmo com muito espaço, finalizou em cima de Gatito, para o desespero da torcida local. Com a bola teimando em entrar, o duelo seguiu para os pênaltis.

Pedro Raul, Alex Santana, Bruno Nazário e Danilo Barcelos acertaram pelo Botafogo. Ronaldo Alves, do Náutico, bateu cruzado e parou em Gatito. Luiz Fernando, em cobrança muito parecida, também parou em Jonnathan. Mas na última cobrança dos donos da casa, o goleiro paraguaio defendeu o chute de Paiva e salvou o Alvinegro em mais uma disputa de pênaltis.

A Gazeta integra o

Saiba mais
copa do brasil futebol

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.