ASSINE

Flamengo bate o Athletico-PR e fica em vantagem nas oitavas da Copa do Brasil

Bruno Henrique marcou o gol da vitória do Fla, mas o jovem goleiro Hugo pegou pênalti, fez boas defesas e assegurou o resultado

Publicado em 28/10/2020 às 23h47
Bruno Henrique marcou o gol da vitória do Flamengo
Bruno Henrique marcou o gol da vitória do Flamengo. Crédito: Marcelo Cortes/Flamengo

O gol foi de Bruno Henrique, mas o protagonista da vitória do Flamengo por 1 a 0 sobre o Athletico, na ida das oitavas de final da Copa do Brasil, foi o goleiro Hugo Souza, o Neneca. Com grande atuação nesta quarta-feira (28), em especial no segundo tempo, o camisa 45 segurou o Furacão e o time de Domènec Torrent deu um passo importante para a classificação. Na próxima quarta, o duelo é no Maracanã.

Com o resultado, o Rubro-Negro do Rio de Janeiro terá a vantagem do empate na partida decisiva. O Furacão, por sua vez, precisará vencer por dois ou mais gols para avançar às quartas de final da Copa sem a necessidade dos pênaltis.

O JOGO

De maneira até surpreendente, Dome Torrent colocou uma equipe em campo muito próxima à considera ideal do Flamengo. As mudanças mais significativas foram na zaga - Léo Pereira e Noga nos lugares de Natan e Gustavo Henrique -. Do meio para frente, Bruno Henrique apareceu entre os titulares, no lugar de Gerson. Assim, "cada vez mais no automático", como deseja o técnico, o Rubro-Negro teve o domínio do primeiro tempo e abriu o placar aos 19 minutos.

A dobradinha pela direita, entre Isla e Everton Ribeiro, funcionou bem mais uma vez. Por ali, o Flamengo já havia chegado com perigo em lance que Pedro finalizou rente à trave. Na sequência, Isla cruzou, o centroavante ganhou pelo alto do goleiro Santos e a bola ofereceu-se para Bruno Henrique, que marcou seu 50º gol com o Manto. São 91 partidas do atacante pelo clube desde 2019.

Ao Athletico, faltou velocidade na troca de passes para superar a encaixada marcação do Flamengo, que com as boas atuações dos laterais e o apoio de Vitinho e Bruno Henrique, evitaram os lances adversários pelo lado do campo. A principal alternativa do Furacão antes do intervalo foi o pivô com Walter, que levou vantagem nos duelos com Léo Pereira e Noga, mas não venceu Neneca. 

O cenário mudou drasticamente na volta do intervalo: com Léo Cittadini, enfim, entrando na partida, o Athletico passou a mandar na partida. Uma sequência de finalizações até os 20 minutos mostraram que o gol de empata do Furacão estava maduro. Contudo, lá estava o goleiro Neneca. As defesas do camisa 45 mantiveram o time carioca em vantagem, e confirmaram que a opção feita pelo treinador espanhol, ao mantê-lo como titular do time, era mesmo a acertada.

Aos 31, os dois melhores jogadores do Athletico construíram bom lance: Walter, na entrada da área, encontrou Cittadini, que foi derrubado por Renê. Com o auxílio do VAR, o pênalti foi confirmado. O próprio camisa 9 foi para a cobrança, a estrela de Neneca brilhou mais uma vez: defendeu a finalização de Walter. O Athletico "sentiu", e o Flamengo, apesar de um susto ou outro, segurou o 1 a 0.

Futebol copa do brasil flamengo flamengo

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.