ASSINE

Baixo Guandu e Marilândia: regiões vão receber recursos para investir em saneamento básico

Serão R$ 170 milhões investidos em recursos compensatórios pela Fundação Renova

Tempo de leitura: 3min
  • Fundação Renova

  • Estúdio Gazeta

    O Estúdio Gazeta é o time de produção de conteúdo para anunciantes da Rede Gazeta, com estrutura independente da Redação de A Gazeta/CBN.
Publicado em 25/07/2022 às 22h10
Matéria 4: Rio Doce em Baixo Guandu. Fundação Renova. Foto para conteúdo de marca.
Rio Doce em Baixo Guandu: cidade possui um pleito aprovado de R$ 650 mil para a elaboração do sistema de esgotamento sanitário da sede do município. Crédito: Diego Luis

Baixo Guandu foi a primeira cidade capixaba atingida pelos rejeitos decorrentes do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, em 2015. O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do município é 0,70. A cidade possui Plano Municipal de Saneamento Básico, mas essa não é uma realidade em outras localidades no entorno da bacia do Rio Doce.

“É um problema. Historicamente, a gente não teve um investimento público em saneamento básico. Isso não acontece apenas na bacia do Rio Doce, mas em boa parte do Brasil, até porque, são obras subterrâneas, não são atrativas e, muitas vezes, nem vistas pela população”, comenta Cynthia Franco, especialista em saneamento ambiental da Fundação Renova.

Matéria 4: Trabalhador lavando a mão. Fundação Renova. Foto para conteúdo de marca.
Segundo a especialista em saneamento ambiental da Fundação Renova, Cynthia Franco, historicamente não houve um investimento público em saneamento básico no Brasil. Crédito: Gustavo Baxter/Nitro Histórias Visuais

Atualmente, cerca de 80% de todo o esgoto gerado pelos municípios atingidos pelo rompimento de Fundão não passam por tratamento e são despejados diretamente no rio.

“Pouquíssimos municípios têm o tratamento de esgoto concluído ou a rede de coleta atendendo toda a cidade. Há um grande trabalho a ser feito”, acrescenta Cynthia.

No Espírito Santo, a Fundação Renova disponibiliza R$ 170 milhões em recursos compensatórios para os municípios capixabas atingidos pelo desastre (Linhares, Colatina, Baixo Guandu e Marilândia), além do Consórcio Público para Tratamento e Destinação Final Adequada de Resíduos Sólidos da Região Doce Oeste do Estado do Espírito Santo (Condoeste), composto por 22 municípios capixabas. A iniciativa faz parte do Programa de Coleta e Tratamento de Esgoto e Destinação de Resíduos Sólidos.

Matéria 4: Rio Doce em Baixo Guandu. Fundação Renova. Foto para conteúdo de marca.
Até o momento, Baixo Guandu já recebeu cerca de R$ 184,3 mil em repasses. Crédito: Diego Luis

Baixo Guandu possui um pleito aprovado de R$ 650 mil para a elaboração do sistema de esgotamento sanitário da sede do município. Até o momento, a cidade já recebeu cerca de R$ 184,3 mil em repasses. Especialistas e representantes do poder público finalizaram o estudo de concepção e a próxima etapa é a elaboração dos projetos básicos e executivos pelo município para licitar a obra.

MARILÂNDIA

Matéria 4: foto de Marilândia. Fundação Renova. Foto para conteúdo de marca.
O município de Marilândia também é banhado pelo Rio Doce e está apto a receber os recursos compensatórios da Fundação Renova. Crédito: Prefeitura de Marilândia/Divulgação

Pouca gente sabe, mas o município de Marilândia, no Noroeste do Estado, também é banhado pelo Rio Doce. Por isso, também está apto a receber os recursos compensatórios do Programa de Saneamento da Fundação Renova.

“Assim como Baixo Guandu, o município de Marilândia também está na fase inicial de elaboração de projetos de sistema de esgotamento sanitário. Esse é um trabalho bem particular de especialistas e prefeitura. E é claro que a gente dá todo o apoio técnico necessário. Até porque, sem a elaboração do projeto não é possível liberar recursos e dar início às obras", explica Cynthia Franco.

Matéria 4: uso de água fornecida e armazenada em caixa d'água instalada em residência. Fundação Renova. Foto para conteúdo de marca.
Atualmente, cerca de 80% de todo o esgoto gerado pelos municípios atingidos pelo rompimento de Fundão não passam por tratamento e são despejados diretamente no Rio Doce. Crédito: Gustavo Baxter/Nitro Histórias Visuais

Marilândia já possui aprovação para adequação e elaboração de projetos dos sistemas de esgotamento sanitário das localidades de São Marcos, Monte Sinai, Patrão Mor, Brejal, Alto Liberdade e na Sede no valor de R$ 582.547,00, e receberá os repasses após o cumprimento dos trâmites legais.

Em todo o Espírito Santo, a Fundação Renova disponibilizará R$ 170 milhões para a revitalização do Rio Doce dentro do Programa de Coleta e Tratamento de Esgoto e Destinação de Resíduos Sólidos, sendo que obras já foram concluídas em distritos de Linhares e na sede de Colatina.

Matéria 4: foto de Marilândia. Fundação Renova. Foto para conteúdo de marca.
Marilândia está na fase inicial de elaboração de projetos de sistema de esgotamento sanitário. Crédito: Prefeitura de Marilândia/Divulgação

“Nunca é demais lembrar que tratamento de esgoto gera renda durante a construção das estações, e, quando pronto, melhoria da qualidade de vida e preservação do meio ambiente, já que os dejetos não são mais despejados em rios e córregos”, finaliza Cynthia.

Nota: Fundação Renova é uma instituição apartidária. As ações informadas visam atender ao Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) assinado pela Fundação e não representam qualquer apoio ou vínculo com partido político ou candidato a cargo público.

Este é um conteúdo de responsabilidade do anunciante.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.