ASSINE

FHC: 'Comissão era ato reparador'

Ele espera que a Comissão de Mortos e Desaparecidos não se transforme em um instrumento "de vinganças antidemocráticas"

Publicado em 03/08/2019 às 12h48
Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso . Crédito: Ricardo Medeiros
Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso . Crédito: Ricardo Medeiros

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que espera que a Comissão de Mortos e Desaparecidos não se transforme em um instrumento "de vinganças antidemocráticas".

Em sua conta no Twitter, FHC lembrou que a comissão foi criada no seu governo como um "ato reparador". "A Comissão de Mortos e Desaparecidos, 1995, não foi revanche. Era ato reparador de sofrimento a pessoas e famílias tendo o Estado como responsável. Dele publicou-se foto de um general abraçado à esposa de uma vítima. Paz, não ódio. Corrijam-se excessos, sem vinganças antidemocráticas", escreveu o ex-presidente um dia depois de Jair Bolsonaro trocar quatro dos integrantes da comissão. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.